Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização do processo de morte celular no tecido interpúbico de camundongos durante o final da prenhez, parto e pós-parto

Processo: 07/07168-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2008 - 30 de setembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Olga Maria de Toledo Correa
Beneficiário:Olga Maria de Toledo Correa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Imuno-histoquímica  Ultraestrutura  Obstetrícia  Morte celular 

Resumo

Durante a gestação, um remodelamento tecidual extenso ocorre na matriz extracelular dos tecidos que compõem o aparelho reprodutor feminino. Sabe-se que a gestação induz o desenvolvimento de um ligamento que desaloja a fibrocartilagem encontrada na sínfise púbica de animais virgens. Recentemente demonstramos que o aumento final alcançado pelo ligamento ocorre através do desaparecimento das ondulações das fibrilas e fibras colágenas do ligamento concomitante ao aumento do proteoglicano versican e do glicosaminoglicano ácido hialurônico (moléculas sabidamente envolvidas no processo de hidratação dos tecidos). Estes dois eventos conjuntamente -estiramento das fibrilas e fibras de colágeno (Pinheiro et al., 2004) e aumento de versican e ácido hialurônico (Zhao et al., 2000; Garcia, 2005)- são responsáveis pelo relaxamento do ligamento (Pinheiro et al., 2005; Garcia, 2005). Além disso, também observamos que a proliferação celular é intensa durante o período de crescimento do ligamento, entre o décimo quinto e décimo oitavo dias de prenhez (Veridiano et al., 2007). Entretanto, no dia do parto ocorre uma queda abrupta do índice de proliferação acompanhada pelo maior índice de morte celular programada. Apesar do alto nível de morte celular detectado tanto no dia do parto quanto no período de involução pós-parto do ligamento interpúbico (Veridiano et al, 2007), não foi possível observarmos núcleos picnóticos ou mesmo condensação de cromatina e/ou formação de corpos apoptóticos nos preparados histológicos observados em estudos morfológicos anteriores de sínfise púbica em camundongos (Moraes et al., 2003; Moraes et al., 2004; Pinheiro et al., 2004; Pinheiro et al., 2005). Dado que os corpos apoptóticos persistem por horas antes de serem eliminados por fagocitose (Roach et al., 2004), esperar-se-ia que estas estruturas fossem observadas com uma razoável freqüência, caso o fenômeno de morte celular programada clássico (denominado apoptose) estivesse ocorrendo. Alternativamente, a modulação da função celular pode, de modo geral, ser regulado pelo processo de autofagia. A identificação da maneira pela qual se dá o processo de morte celular em cada circunstância é bastante importante para o conhecimento dos mecanismos envolvidos, assim como para a utilização de estratégias de intervenção. Este projeto pretende investigar a morte celular no processo de remodelamento tecidual que ocorre no ligamento interpúbico de camundongo no parto e pós-parto. Para tal, serão realizados estudos imunohistoquímicos para a localização e expressão de marcadores bioquímicos associados à apoptose (bax, bcl-2, caspase-3, -6, -8 e -9) e à autofagia (catepsina B, catepsina D, beclina-1). Também serão realizadas análises ultra-estruturais de fragmentos da sínfise púbica nos diferentes períodos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)