Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da dinâmica folicular e administração do hCG pós-monta com o uso de diferentes dispositivos vaginais no protocolo curto de sincronização de cios de ovelhas Santa Inês

Resumo

Para que o país aumente a exploração comercial da ovinocultura por meio de uma criação sustentável, são necessários estudos para o desenvolvimento de métodos e protocolos hormonais que contribuam para melhorar a eficiência reprodutiva e, consequentemente, aumentar os lucros e viabilizar o sistema de produção da ovinocultura. Dentre as raças de ovinos, a Santa Inês, considerada raça nacional deslanada de origem tropical, tem demonstrado uma notável dominância no cenário nacional.Nos programas reprodutivos para pequenos ruminantes, entre os hormônios necessários, os dispositivos vaginais apresentam a maior disponibilidade para estudos de qualidade e redução de custos por permitir a sincronização do estro e conseqüente aumento do índice reprodutivo. No mercado brasileiro, as opções encontradas são as esponjas de medroxiprogesterona (MAP), eficientes, de baixo custo, porém de manejo trabalhoso e passível de gerar vaginites e aderências ou os dispositivos de silicone impregnados de progesterona natural, também eficientes, de fácil manejo e preferidos tecnicamente, porém, seus valores restringem o uso de forma massiva entre os criadores. Tal dispositivo de liberação lenta de progesterona é composto por uma alma plástica rígida (responsável por manter a pressão elástica do dispositivo e evitar a saída da vagina) revestida por uma membrana de silicone inerte impregnada por progesterona. Em estudo comercial sobre a fabricação desse dispositivo, constatou-se que o custo correspondente às frações alma plástica, membrana de silicone e progesterona representam, respectivamente, 10%; 64% e 26%. Isto significa que a queda do valor desse tipo de produto está relacionada à modificação de sua estrutura, com a retirada da alma plástica, cujo processo de injeção do silicone ao seu redor é muito custoso, e ao estudo de doses de progesterona suficientes à mimetização do corpo lúteo e liberação de progesterona próximo ao fisiológico dos pequenos ruminantes. Assim, novas investigações para o desenvolvimento de um dispositivo de progesterona de baixo custo se fazem necessárias sendo, a sua análise e influência na dinâmica folicular e concentração de progesterona plasmática, um dos objetivos deste estudo.A morte embrionária precoce tem sido frequentemente apontada como principal causa de redução na eficiência reprodutiva de rebanhos ovinos. Uma das possíveis respostas para isto é a função luteal materna inadequada. A gonadotrofina coriônica humana (hCG) é uma glicoproteína que está estruturalmente relacionada ao LH e ambos hormônios se ligam ao mesmo receptor, já relatado em tecidos gonadais e extra-gonadais. Com isto, o uso do hCG tem sido um método viável para induzir a formação de corpos lúteos acessórios, evitar a regressão prematura do corpo lúteo e, consequentemente, promover uma função luteal materna adequada. Além disso, o hCG tem potencial para aumentar a vascularização do ovário e corpo lúteo e melhorar o desenvolvimento do concepto devido a suas ações vasoativa e embriotrófica já relatadas em outros estudos. Portanto, o segundo objetivo deste estudo é avaliar a eficiência da administração de gonadotrofina coriônica humana (hCG) pós-monta na indução de corpos lúteos acessórios, produção de progesterona e desenvolvimento do concepto para melhorar os índices reprodutivos do rebanho. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)