Busca avançada
Ano de início
Entree

Os efeitos da utilização de insulina e de implante transitório (biomembrana natural de látex) em um modelo experimental de perfuração traumática de membrana timpânica.

Processo: 09/05467-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2009 - 30 de junho de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Miguel Angelo Hyppolito
Beneficiário:Miguel Angelo Hyppolito
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Otorrinolaringologia  Membrana timpânica  Insulina 

Resumo

A perfuração aguda de membrana timpânica usualmente é resultado de infecção ou trauma. A maioria das perfurações agudas da membrana timpânica cicatriza espontaneamente com 7 a 21 dias, dependendo do local da perfuração. Por outro lado, o tratamento cirúrgico (miringoplastia) é necessário para casos em que não houve cicatrização. A proposta é estudar a utilização da insulina e do implante transitório (biomembrana natural de látex) em um modelo experimental de perfuração traumática de membrana timpânica e a avaliação histopatológica do processo de cicatrização dos tímpanos de ratos. Os animais serão randomicamente divididos em 4 grupos, com 10 ratos . No grupo A(controle), será realizada somente a perfuração traumática da membrana timpânica. Grupo B: perfuração da membrana timpânica, instilação de 1 Unidade de Insulina Humana Regular, diariamente, durante 7 dias. Grupo C: perfuração traumática da membrana timpânica, posicionamento da biomembrana de látex externamente aos bordos da membrana timpânica remanescente.Grupo D: perfuração da membrana timpânica, Instilação de 1 Unidade de Insulina Humana Regular e posicionamento da membrana de látex externamente. As membranas timpânicas serão removidas, com 1 a 2 mm de pele de orelha externa, incluindo o anel fibroso. Os espécimes serão fixados em formaldeído 10%, descalcificados em ácido fórmico, e preparados em slides de 5 mm de espessura, tratados com hematoxilina e eosina, Sirus Red , para análise de colágeno ; imunocitoquímica para análise de aspectos da epitelização, angiogênese, reparo do tecido conjuntivo, cicatrização pela deposição de colágeno e presença de miofibloblastos e Western blotting para quantificar as eventuais mudanças dos componentes da membrana timpânica com os diferentes tratamentos.JUSTIFICATIVAEstudo dos efeitos da utilização de insulina e biomembrana de látex no processo de cicatrização de perfurações traumáticas de membranas timpânicas. As técnicas microcirúrgicas (miringoplastias) requerem investimento de capital e treinamento especializado. Por isso, há um grande interesse em desenvolver métodos não-invasivos e menos dispendiosos de solucionar tal patologia. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)