Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliacao do efeito indutor e/ou promotor de lesoes pre-neoplasicas em colon de ratos tratados com o produto comercial cl disperse blue 291.

Processo: 04/13795-2
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2005 - 28 de fevereiro de 2006
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Silvia Berlanga de Moraes Barros
Beneficiário:Silvia Berlanga de Moraes Barros
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Focos de criptas aberrantes  Transformação celular neoplásica 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Aminoazobenzeno | Carcinogenese Experimental | Cl Disperse Blue 291 | Corantes Dispersos | Focos De Criptas Aberrantes | 1,2-Dimetilhidrazina

Resumo

Corantes podem estar presentes no ambiente aquático, oriundos de despejos de indústrias que os utilizam, e entrar na cadeia alimentar via ingestão de água ou alimento contaminado com esses compostos. O CI Disperse Blue 291 é um dibromonitro-azoarriinobenzeno utilizado freqüentemente para tingir nylon e poliéster. Esse produto comercial apresenta atividade mutagênica dependente de ativação por nitroredução no Teste de Ames. Porém não há dados na literatura sobre o efeito desse composto em outros ensaios de genotoxicidade/carcinogenicidade. Este projeto tem como objetivo avaliar o efeito iniciador e/ou promotor do corante Disperse Blue 291 sobre o desenvolvimento de focos de criptas aberrantes (FCAs), que são lesões pré-neoplásicas, na mucosa do cólon de roedores. Ratos Wistar machos serão divididos em 7 grupos experimentais. Os testes terão duração variada, sendo o sacrifício dos animais ao final da 12ª, 20ª e 28ª semana de experimento. O grupo 01 será o controle negativo recebendo somente EDTA (0,37 mg/kg), usado como veículo do carcinógeno 1,2-Dimetil hidrazina (DMH), e água. Os grupos 01 e 06 serão os controles positivos, que sofrerão iniciação com DMH (40 mg/kg), e receberão respectivamente ácido quenodesoxicólico, conhecido promotor de FCAs, e água. Os grupos 2, 3, 4 e 7 serão tratados com o produto comercial CI Disperse Blue 291 (50 mg/kg) visando analisar seu possível potencial iniciador, promotor ou iniciador/ promotor do processo carcinogênico. Ao término do experimento o cólon dos animais será removido, fixado e corado com azul de metileno para detecção e contagem dos focos de criptas aberrantes. Uma pequena tira da parte distal do cólon será processada para obtenção de cortes histológicos que serão corados com hematoxilina-eosina para análise. Os FCAs serão quantificados analisados estatisticamente e comparados entre os diferentes grupos experimentais. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)