Busca avançada
Ano de início
Entree

Fatores de risco e proteção na idade escolar

Resumo

As crianças em risco para distúrbio psicossocial representam uma elevada proporção da população jovem contemporânea. Segundo a perspetiva desenvolvimentista para a ocorrência de distúrbios, os resultados da exposição ao risco se traduzem em um conjunto de possibilidades de desenvolvimento e não como a expressão de doenças ou distúrbios isolados baseados em fatores causais específicos. Como precursora da adolescência, onde indivíduos vulneráveis cada vez mais precocemente se envolvem em comportamentos de risco, é importante focalizar a fase escolar com a preocupação de determinar fatores de risco que possam ser modificados, assim como recursos e fatores de proteção que possam ser fortalecidos, dentro de um enfoque preventivo. Fundamentado no modelo teórico-metodológico da abordagem desenvolvimentista, este projeto visa examinar as interações entre fatores de risco e fatores de proteção ao desenvolvimento da criança na fase escolar, tendo como referenciais os marcos adaptativos e as tarefas evolutivas dessa etapa do desenvolvimento humano. O projeto compreende 13 módulos, agrupados em quatro conjuntos de investigações aqui designados como sub-projetos. No sub-projeto 1, investigam-se os efeitos protetivos das habilidades de solução de problemas interpessoais, em crianças vulneráveis por apresentarem problemas de comportamento associados a dificuldades escolares. Através de um delineamento de comparação entre grupos e uma avaliação pre/pós intervenção, pretende-se verificar o efeito protetor de um programa de intervenção planejado para atenuar problemas de comportamento através do fortalecimento das habilidades de solução de problemas interpessoais. O tema do sub-projeto 2 é a resiliência em crianças com dificuldade na aprendizagem escolar. Serão realizados dois estudos de comparação entre grupos, bem como um estudo longitudinal e um delineamento pré 1 pós intervenção, focalizando fatores de risco e proteção no ambiente familiar, em interação com indicadores pessoais de resiliência (orientação social positiva, habilidades de solução de problemas interpessoais) e vulnerabilidade (dificuldades nas relações interpessoais, problemas comportamentais/emocionais). Procura-se compreender os mecanismos através dos quais essas variáveis alteram os efeitos de intervenções preventivas e afetam a trajetória de desenvolvimento da criança em direção à adolescência. No sub-projeto 3, objetiva-se avaliar o auto-conceito e auto-eficácia de crianças na fase de escolarização fundamental, buscando compreender o significado de vulnerabilidade associado aos problemas. Serão desenvolvidos quatro estudos, visando delimitar o impacto do desempenho escolar satisfatório/insatisfatório e da ajuda psicopedagógica na área de saúde e na instituição escolar, como fontes de vulnerabilidade ou de proteção, tendo como referência as percepções das crianças com relação ao seu auto-conceito e auto-eficácia. Pretende-se relacionar dados relativos ao auto-conceito e auto-eficácia às manifestações comportamentais, ao nível de maturidade e ao desempenho escolar, em diferentes condições, tendo como foco a vulnerabilidade e os fatores protetivos que operam no período de escolarização fundamental. No sub-projeto 4, orientado para a investigação de prematuridade e baixo peso no nascimento como fator de risco ao desenvolvimento e aprendizagem, pretende-se responder a questões relativas ao desenvolvimento de crianças biologicamente vulneráveis, devido ao alto risco neonatal, e portanto sujeitas a apresentarem problemas de desenvolvimento e aprendizagem. Serão realizando três estudos, sendo o primeiro com delineamento longitudinal e os dois outros com delineamento transversal e comparação de grupos caso-controle. Os estudos focalizarão alguns dos grandes marcos do desenvolvimento psicológico da criança, incluindo fases sensíveis para importantes aquisições e adaptações evolutivas. Ao avaliar aspectos do desenvolvimento das crianças expostas a fatores de risco, problemas podem ser detectados, assim como fatores protetores na história das mesmas, que possam ter favorecido o sucesso na sua evolução apesar das adversidades. Com o conjunto de resultados, pretende-se consolidar uma linha de pesquisa orientada para a investigação das interações entre fatores de risco e fatores de proteção ao desenvolvimento da criança na fase escolar, assim como para a formulação de programas de intervenção preventiva que promovam o desenvolvimento pleno dessas crianças. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)