Busca avançada
Ano de início
Entree

Inteligência artificial e infravermelhos portáteis na análise de qualidade e ponto de maturação de mamão

Processo: 23/10566-3
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de março de 2024 - 30 de novembro de 2024
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Convênio/Acordo: SEBRAE-SP
Pesquisador responsável:Karla Rodrigues Borba
Beneficiário:Karla Rodrigues Borba
Empresa Sede:KARLA RODRIGUES BORBA CONSULTORIA EM TECNOLOGIA DA INFORMACAO LTDA
CNAE: Atividades de apoio à agricultura
Atividades de pós-colheita
Município: São Carlos
Pesquisadores associados:Poliana Cristina Spricigo
Bolsa(s) vinculada(s):24/03088-0 - Inteligência artificial e infravermelhos portáteis na análise de qualidade e ponto de maturação de mamão, BP.PIPE
Assunto(s):Espectroscopia  Infravermelho  Pós-colheita  Carica papaya 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Carica papaya | Espectroscopia | Infravermelho | produtor vegetal | Pós-colheita

Resumo

O Brasil figura como o segundo maior produtor de mamões do mundo, com aproximadamente um milhão e duzentas mil toneladas produzidas em 2021. Sua cultura estende-se por 28.495 ha, com destaque para as regiões norte do Espírito Santo e sul da Bahia, sendo a Europa, Estados Unidos e outros países da América do Sul seus maiores importadores. O controle de qualidade durante exportação do fruto é rígido e lotes podem ser devolvidos caso não apresentem os requisitos mínimos. O ponto de colheita é um fator importante a ser considerado, pois exerce grande influência na qualidade final dos frutos. A colheita de frutos imaturos provoca alto índice de perda de água, aumento da susceptibilidade às desordens fisiológicas e prejudica o amadurecimento, afetando a qualidade final dos frutos em atributos como sabor, aparência e textura do fruto. Por outro lado, frutos colhidos muito maduros perdem a qualidade rapidamente, devido à acelerada deterioração e menor resistência ao manuseio, tendo um tempo de comercialização reduzido. Sendo assim, é de grande importância o desenvolvimento de alternativas e novos métodos com maior precisão, rapidez e praticidade para os produtores. Ao longo das últimas duas décadas a miniaturização de espectrômetros de infravermelho próximo juntamente como o grande avanço na área de inteligência artificial, tornou a técnica de NIR muito mais atrativa para os consumidores diretos no agro (produtores, processadores e intermediários do processo). NIRs portáteis, que apresentam desempenho equivalentes aos grandes espectrômetros de bancada, agora podem ser levados a cada etapa do processo agropecuário, inclusive ao campo. Isso possibilita a rápida e efetiva tomada de decisão, avaliação mais precisa. Apesar dos diversos avanços, estudos científicos e equipamentos desenvolvidos, esta tecnologia ainda não é acessível a todos produtores. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)