Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da descolonização pré-operatória para Staphylococcus aureus em pacientes submetidos a cirurgia de coluna e artroplastias totais no Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas FMUSP

Processo: 23/12620-5
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2024 - 31 de janeiro de 2026
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Ana Lucia Lei Munhoz Lima
Beneficiário:Ana Lucia Lei Munhoz Lima
Instituição Sede: Instituto de Ortopedia e Traumatologia Professor Francisco Elias de Godoy Moreira (IOT). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores associados: Angélica Makio dos Anjos ; Priscila Rosalba Domingos de Oliveira ; Vanessa Ferreira Amorim de Melo ; Vladimir Cordeiro de Carvalho
Assunto(s):Artroplastia de quadril  Coluna vertebral  Prevenção de doenças 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Artroplastia de joelho | Artroplastia de Ombro | Artroplastia de quadril | Coluna Vertebral | Infecção de Ferida Cirúrgica | prevenção de doenças | Prevenção e Controle de Infecção Hospitalar, Infectologia

Resumo

O Staphylococcus aureus (S. aureus) é o agente mais comum quando se trata de Infecção de sítio cirúrgico (ISC), e cerca de 15 a 32% da população mundial é colonizada por S. aureus sensível à meticilina (MSSA) e 1 a 3% colonizada por S. aureus resistente à meticilina (MRSA) 2. Esta colonização ocorre principalmente nas narinas em cerca de uma em quatro pessoas aumentando o risco de ISC em 2 a 14 vezes 1. Aproximadamente 80% das cepas causadoras de infecção tem origem endógena e são geneticamente similares às cepas isoladas de swabs nasais 5. Para as cirurgias ortopédicas que possuem maior complexidade, a colonização nasal por Staphylococcus aureus pode aumentar o risco de ISC, tornando-se sua prevenção importante medida de combate à infecção pós-operatória. Neste contexto, a descolonização nasal de tais pacientes para reduzir a carga biológica de MRSA/MSSA mostrou reduzir a taxa de infecção periprotética, mas a evidência é limitada. Sendo assim, este estudo visa contribuir principalmente no cenário brasileiro, avaliando o impacto da descolonização de S. aureus com mupirocina intranasal 2% e clorexidina degermante 2% em pacientes submetidos a cirurgia limpa e primária de coluna, artroplastia total de quadril, artroplastia total de joelho e artroplastia de ombro, nas taxas de infecção de sítio cirúrgico relacionadas a esses procedimentos. Metodologia: Trata-se de um estudo longitudinal e prospectivo em uma série de casos de pacientes que serão submetidos a cirurgias limpas e eletivas de coluna com presença de síntese e artroplastias totais que irão realizar descolonização pré-operatória para S. aureus. Os pacientes serão avaliados quanto a presença de MRSA, MSSA e ISC relacionada à assistência à saúd. Para comparação da incidência ISC, será realizada uma análise retrospectiva dos procedimentos estudados no período anterior em que foi instituído o protocolo de descolonização pré-operatória. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)