Busca avançada
Ano de início
Entree

Regulação transcricional e pós-transcricional da expressão do inibidor de metaloproteinases de matriz RECK e suas isoformas por oncoproteínas virais.

Processo: 23/12134-3
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2024 - 31 de janeiro de 2026
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Enrique Mario Boccardo Pierulivo
Beneficiário:Enrique Mario Boccardo Pierulivo
Instituição Sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Ana Paula Lepique ; Lara Termini ; Sheila Coelho Soares Lima
Assunto(s):Herpesvirus humano 4  Infecções por Papillomavirus  Matriz extracelular  Microambiente celular 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Ebv | hpv | matriz extracelular | Microambiente celular | Oncoproteínas virais | Reck | Mecanismos de carcinogênese mediada por vírus

Resumo

Alguns tipos de papilomavírus humanos (HPV) e o vírus Epstein-Barr (EBV) são considerados carcinógenos de tipo 1 pela Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (IARC). Em conjunto, esses vírus são o fator etiológico de aproximadamente 6% dos novos casos de câncer no mundo todo. A infecção por HPV de alto risco oncogênico é o fator etiológico de praticamente 100% dos carcinomas de colo uterino e mais de 90% dos carcinomas de ânus. Além disso, estes vírus estão associados a uma porcentagem importante dos carcinomas de vulva, vagina, pênis e de cabeça e pescoço. Por outro lado, o EBV está associado, em porcentagens variáveis, a pelo menos nove tumores diferentes: linfoma de Burkitt, linfoma de Hodgkin, linfoma de células B grandes difusas, linfoma plasmablástico, linfoma de efusão primária, linfoma de células T/NK, carcinoma da nasofaringe, carcinoma gástrico e leiomiosarcoma. O HPV e o EBV expressam proteínas capazes de alterar a expressão e atividade de diversos fatores celulares, e desregular diferentes vias de transdução de sinais garantindo a multiplicação e persistência destes agentes. Isto está estreitamente associado ao potencial oncogênico destes vírus, uma vez que a expressão contínua de alguns fatores virais é fundamental no processo de transformação celular. Além disso, o estabelecimento e progressão dos tumores causados por estes agentes envolve uma série de eventos complexos que modulam a interação da célula infectada com células vizinhas e o ambiente extracelular. Assim, alterações na expressão e função de diferentes componentes da matriz extracelular (MEC) como, por exemplo, metaloproteinases de matriz (MMPs) e alguns de seus inibidores, estão envolvidas nos processos de carcinogênese mediados por HPV e EBV. A proteína RECK (do inglês reversion-inducing cysteine-rich protein with Kazal motifs) é uma glicoproteína ancorada à face externa da membrana, fundamental no remodelamento tecidual, na cicatrização e regulação de angiogênese através da inibição das MMP-2, MMP-9 e MMP-14. Os níveis de expressão de RECK se correlacionam de maneira inversa com a progressão e o prognóstico de diferentes tipos de cânceres sendo considerado um importante supressor tumoral. Diversos estudos, utilizando diferentes abordagens experimentais, mostraram que a regulação deste gene envolve combinação de mecanismos transcricionais e pós-transcricionais. Anteriormente, mostramos que RECK é regulada negativamente em tumores associados ao HPV e lesões precursoras e que sua superexpressão inibe o potencial tumorigênico in vitro e in vivo de linhagens celulares transformadas por HPV. Além disso, mostramos que a expressão de E6 e E7 de HPV16 regula negativamente a atividade do promotor de RECK. No entanto, os mecanismos moleculares envolvidos não foram esclarecidos. No presente estudo pretendemos determinar o papel de oncoproteínas de HPV e EBV na regulação da expressão de RECK e suas isoformas. Além disso, visamos realizar estudos funcionais para determinar o envolvimento de proteínas de HPV e EBV, de fatores de transcrição específicos, da metilação do promotor e de microRNAs na regulação da expressão de RECK. Finalmente, avaliaremos o efeito da superexpressão de RECK no estabelecimento e progressão tumorais em animais imunocompetentes. Os resultados deste estudo permitirão compreender melhor os mecanismos de regulação de RECK no processo de carcinogênese mediado por HPV e EBV. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)