Busca avançada
Ano de início
Entree

Transporte e deposição de sedimentos em bacias hidrográficas com cascatas de reservatórios

Processo: 23/08711-5
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2023 - 30 de novembro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Hugo de Oliveira Fagundes
Beneficiário:Hugo de Oliveira Fagundes
Instituição Sede: Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesquisadores associados:ANDRÉ LUÍS SOTERO SALUSTIANO MARTIM ; Ayan S Fleischmann
Assunto(s):Deposição de sedimentos  Modelos hidrológicos  Sedimentologia fluvial 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Assoreamento | Conectividade hidrossedimentológica | Fluxos de sedimentos | Mgb-Sed | Modelagem de sedimentos | modelagem hidrológica | Hidrossedimentologia

Resumo

A América do Sul tem se destacado mundialmente quando o tema é sobre reservatórios, pois além de ser uma região que transporta elevada carga de sedimentos. Estudos têm indicado que as taxas de erosão na América do Sul vêm aumentando. Se essa tendência se mantiver, isso implica no fato que mais sedimentos ficarão aprisionados nos reservatórios, diminuindo a vida útil desses. No Brasil, em especial, os reservatórios são componentes importantes do nosso sistema integrado nacional de geração elétrica (SIN), responsáveis por uma parcela relevante da geração elétrica total brasileira. O SIN é um dos maiores sistemas integrados de geração de energia elétrica do mundo. O processo de assoreamento de reservatórios é o fator limitante natural da acumulação de água nos reservatórios e por isso um fator relevante na vida útil de aproveitamentos hidrelétricos e barragens de usos múltiplos. Quando um reservatório é construído a montante/jusante de outro, formando o que normalmente se denomina por "cascata" de reservatórios, é de se esperar que menos sedimentos cheguem nos reservatórios de jusante, já que estes ficam depositados nos reservatórios de montante. Tem-se, assim, um possível aumento da vida útil dos reservatórios da cascata que estão localizados a jusante. Uma forma de estimar a deposição de sedimentos em reservatórios seria realizando medições in situ, processo que é oneroso monetariamente. Uma outra forma, bem menos onerosa, é o emprego de modelos matemáticos de simulação dos fluxos de sedimentos. Uma lacuna existente na literatura é o entendimento da dinâmica do assoreamento de reservatórios em cascata e seu impacto no transporte de sedimentos. Assim, a principal contribuição que o presente projeto busca fornecer é o entendimento da dinâmica espaço-temporal do assoreamento e a geração de informações quantitativas de cascatas de reservatórios brasileiros. Esses resultados podem fornecer dados fundamentais para tomadores de decisões de órgãos e empresas do setor elétrico, gestores ambientais e agentes políticos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)