Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito e mecanismos da ozonioterapia nas artralgias da articulação temporomandibular

Processo: 22/01111-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2023 - 31 de maio de 2025
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Claudia Herrera Tambeli
Beneficiário:Claudia Herrera Tambeli
Instituição Sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Carlos Amilcar Parada
Assunto(s):Dor facial  Artralgia  Articulação temporomandibular  Analgesia  Dor  Inflamação  Analgésicos opioides  Ozonioterapia 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Analgesia | Articulação Temporomandibular | Dor | Inflamação | Opióides | ozonioterapia | Dor orofacial

Resumo

As disfunções temporomandibulares (DTMs) correspondem a um grupo de disfunções frequentemente dolorosas que envolvem a articulação temporomandibular (ATM), os músculos mastigatórios e estruturas associadas. A dor na ATM (artralgia) resulta principalmente de trauma agudo, desarranjo interno ou artrites, e é comumente associada à inflamação aguda ou crônica. A busca por novas terapias efetivas e mais seguras é de grande relevância para o tratamento dessas condições dolorosas. A ozonioterapia tem despertado interesse no tratamento da dor, incluindo a associada às DTMs. O ozônio (O3) é uma molécula inorgânica altamente solúvel em água, composta por três moléculas de oxigênio. No entanto, pouco se conhece a respeito de seu efeito e mecanismos de ação na artralgia da ATM. Portanto, o objetivo deste projeto de pesquisa translacional será avaliar o efeito da ozonioterapia na dor e na resposta inflamatória da ATM e alguns mecanismos potencialmente envolvidos, como a polarização de macrófagos e a participação do sistema opióide. Parte do estudo será realizado em humanos e parte em modelo animal. O estudo em humanos será randomizado, duplo cego e controlado. Nesse estudo será verificado se a mistura oxigênio-ozônio: reduz a artralgia da ATM (dor espontânea avaliada pela escala visual analógica e limiar mecânico de dor avaliado pelo algômetro); aumenta a máxima abertura bucal avaliada em mm por um paquímetro; modula o processo inflamatório (o líquido sinovial da ATM será coletado antes e 15 dias após as aplicações na ATM para investigar se a ozonioterapia reduz as citocinas pró-inflamatórias TNF±, IL-1beta e IL-8, aumenta as citocinas anti-inflamatórias IL-10 e TGFalfa e se melhora a qualidade de vida dos pacientes (avaliada pelo questionário World Health Organization Quality of Life Questionnaire-Brief Version (WHOQOL-bref)). O estudo em animais irá avaliar o efeito da mistura oxigênio-ozônio sobre a resposta nociceptiva e inflamatória da ATM de ratas induzida pela administração de Monoiodoacetato de sódio (MIA) na ATM através da análise comportamental, dosagem de citocinas inflamatórias. Serão investigados alguns mecanismos potencialmente envolvidos na ação analgésica e anti-inflamatória da ozonioterapia, como participação do sistema opióide e a polarização de macrófagos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)