Busca avançada
Ano de início
Entree

Um mergulho na Revolução Marinha Mesozoica sob a perspectiva de moluscos bentônicos e nectônicos

Processo: 22/02746-9
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Projeto Inicial
Vigência: 01 de fevereiro de 2023 - 31 de janeiro de 2028
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:José Eduardo Amoroso Rodriguez Marian
Beneficiário:José Eduardo Amoroso Rodriguez Marian
Instituição Sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Alvaro Esteves Migotto ; Frank Edward Anderson ; Jeanne Marie Serb ; Jorge Alves Audino ; Noritaka Hirohashi
Bolsa(s) vinculada(s):23/09622-6 - Evolução das estratégias de deposição dos ovos em Decapodiformes (Cephalopoda): a conquista da independência do substrato em um clado nectônico, BP.MS
Assunto(s):Evolução  Adaptação  Macroecologia  Seleção sexual  Mollusca  Bivalvia  Cephalopoda  Ecossistemas marinhos  Mesozoico  Oceanos e mares 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:adaptação | Evolução | Macroecologia | Mollusca | Seleção sexual | Evolução Marinha

Resumo

A 'Revolução Marinha Mesozoica' (RMM) refere-se à dramática reorganização dos ecossistemas marinhos ocorrida no Mesozoico e que resultou em estruturas ecossistêmicas similares àquelas dos oceanos modernos. O aumento da produtividade primária durante a RMM teria propiciado a diversificação de linhagens predadoras, as quais teriam criado pressões seletivas que resultaram em adaptações defensivas cada vez mais eficazes em suas presas (e.g., infaunalização, espessamento da concha, aumento da mobilidade), em uma corrida armamentista evolutiva. Compreensivelmente, grande parte do arcabouço teórico da RMM está baseada no registro fóssil. Entretanto, uma série de hipóteses subjacentes à RMM não são passíveis de teste somente a partir desses dados. Por exemplo, a compreensão da evolução de estratégias de defesa em animais bentônicos é dificultada pela rara fossilização de estruturas-chave (e.g., fotorreceptores). No caso de linhagens nectônicas, como os cefalópodes coleoides, as próprias pressões da RMM resultaram em adaptações (i.e., perda/redução da concha) que minimizaram sua preservação no registro fóssil. Permanece obscuro, por exemplo, como foi a colonização das diferentes zonas pelágicas marinhas pelo clado, supostamente impulsionada pela agilidade natatória alcançada durante a RMM. O presente projeto de pesquisa visa a ampliar nossa compreensão sobre a RMM a partir da integração de distintas abordagens (i.e., filogenia, transcriptoma, microscopia integrativa, experimentação e história natural) no estudo da macroevolução de linhagens de moluscos bentônicos (Bivalvia: Pteriomorphia) e nectônicos (Cephalopoda: Coleoidea), ambas com elevada diversificação taxonômica e ecológica durante a RMM. A diversificação dos órgãos sensoriais de Pteriomorphia - potencialmente associada à interação presa-predador e à ocupação de novos nichos - será utilizada para responder se a corrida armamentista evolutiva da RMM envolveu a evolução de estratégias de defesa ativa em linhagens bentônicas. Por sua vez, a diversificação das estratégias reprodutivas de Coleoidea - potencialmente influenciada por transições entre habitats marinhos - será empregada para revelar a perspectiva pelágica da RMM, i.e., adaptações associadas à colonização das diferentes zonas pelágicas marinhas. Além da formação de recursos humanos em diferentes níveis (IC, TT, ME, DR, PD), o projeto incluirá uma iniciativa integrada de ensino e pesquisa que envolverá estudantes de graduação e de pós-graduação na produção de atividades extramuros. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)