Busca avançada
Ano de início
Entree

Desastre de Mariana: diagnóstico de contaminação, estratégias de remediação e reaproveitamento de rejeitos de minério de ferro

Processo: 22/12966-6
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2023 - 31 de janeiro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Tiago Osório Ferreira
Beneficiário:Tiago Osório Ferreira
Instituição Sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Alexys Giorgia Friol Boim ; Amanda Duim Ferreira ; Diego Barcellos ; Hermano Melo Queiroz ; Owen Duckworth ; Renata Cristina Bovi ; Samantha Ying ; Xose Luis Otero
Auxílios(s) vinculado(s):23/01493-2 - Avaliação dos impactos e riscos à saúde humana causados pela exposição aos rejeitos do rompimento da barragem de Fundão em Mariana/MG, AP.R
Assunto(s):Geoquímica ambiental  Fitorremediação  Bioacessibilidade  Minérios  Rejeitos de mineração  Poluição ambiental  Mariana (MG) 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:bioacessibilidade oral | biominério | Fitomineração | fitorremediação | Geoquímica Ambiental

Resumo

A mineração de ferro (Fe) tem um papel crucial na economia global, contudo, as - cada vez mais frequentes - rupturas de barragens contendo rejeitos de mineração exigem soluções ambientalmente seguras e economicamente sustentáveis. A deposição de rejeitos de mineração em ecossistemas naturais e agrícolas aumenta a preocupação acerca dos riscos à saúde humana, principalmente em ambientes estuarinos, onde a dissolução de óxidos de Fe, principal constituinte dos rejeitos, pode levar à liberação de elementos potencialmente tóxicos (EPTs) associados. Sete anos após o "Desastre de Mariana", o risco à saúde humana devido ao consumo de alimentos produzidos em solos impactados pelos rejeitos de mineração no estuário do Rio Doce ainda não foi avaliado. Além disso, o acúmulo de EPTs em plantas não-alimentícias constitui-se em uma oportunidade para a descontaminação ambiental. Nesse contexto, as estratégias de fitorremediação e fitomineração se destacam como alternativas para a remediação e o reaproveitamento de rejeitos de minério de Fe, respectivamente. Contudo, a capacidade fitoextratora dessas plantas depende de suas características (e.g., alta produção de biomassa) e da biodisponibilidade do elemento no solo ou rejeito. Nesse sentido, técnicas de fitomineração assistida química e/ou biologicamente podem ser aplicadas para aumentar o potencial das espécies. Diante do exposto, essa proposta tem como objetivos: i) Quantificar os teores totais de EPTs em solos, raízes, folhas e frutos, assim como teores de bioacessibilidade oral humana em solos e frutos das plantas cultivadas no estuário do Rio Doce; ii) Avaliar o potencial de fitorremediação de EPTs in situ pela Typha domingensis a partir de estratégias de fitorremediação assistida testadas isoladamente e em conjunto; iii) Aplicar estratégias de agromineração em rejeitos de minério de ferro para obtenção de biominério. O presente projeto fornecerá uma compreensão integrada do efeito dos EPTs nas plantas cultivadas no estuário do Rio Doce, bem como alicerçará medidas de mitigação para áreas afetadas por rejeitos de minério de Fe. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
O que fazer com os rejeitos gerados pela exploração mineral 
Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)