Busca avançada
Ano de início
Entree

Em busca da diversidade de Bartonella spp. em mamíferos, aves e dípteros hematófagos no Brasil

Processo: 22/08543-2
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2023 - 31 de maio de 2025
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Marcos Rogério André
Beneficiário:Marcos Rogério André
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Pesquisadores associados: Alan Fecchio ; André Luiz Rodrigues Roque ; Andréia Fernandes Brilhante ; Israel de Souza Pinto ; Maria Clara Alves Santarém ; Maria Luiza Felippe Bauer ; Paloma Helena Fernandes Shimabukuro
Auxílios(s) vinculado(s):23/01606-1 - Bartonella spp. em morcegos cavernícolas e seus dípteros ectoparasitos: diversidade, relações filogenéticas e rede de interações, AP.R
Assunto(s):Vetores de doenças  Filogenia molecular  Mamíferos  Aves selvagens  Diptera  Bartonella  Psychodidae  Ceratopogonidae  Diversidade genética  Brasil 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Aves selvagens | bartoneloses | Ceratopogonidae | Filogenia molecular | Psychodidae | reservatórios | Agentes transmitidos por vetores

Resumo

O gênero Bartonella (Rhizobiales; Bartonellaceae) engloba bactérias Gram-negativas intracelulares facultativas que parasitam principalmente eritrócitos e células endoteliais de mamíferos, podendo causar zoonoses com manifestações clínicas com magnitude variando de moderada a grave, a depender da espécie de Bartonella envolvida e status imune do hospedeiro mamífero. Gatos, roedores e morcegos atuam como reservatórios de uma grande diversidade de espécies de Bartonella, muitas das quais zoonóticas. Apesar disto, a diversidade genética de Bartonella spp. em morcegos no Brasil ainda é pouco estudada. Da mesma forma, apenas um estudo até o momento objetivou a genotipagem de isolados de B. henselae a partir de amostras de sangue de gatos no Brasil, mostrando a ocorrência das Sequence Types (ST) 9 e 37 em gatos nos estados de São Paulo e Minas Gerais, respectivamente. No que diz respeito à ocorrência e diversidade de Bartonella spp. que infectam cães no Brasil, os estudos são ainda mais escassos. Inexistentes são os estudos acerca da ocorrência de Bartonella spp. em aves selvagens no Brasil. Embora sejam principalmente transmitidas por vetores artrópodes hematófagos (pulgas, carrapatos, mosquitos, moscas e piolhos), a relação entre este grupo de bactérias e dípteros hematófagos é pouco estudada. Embora dípteros do gênero Lutzomyia sejam os principais vetores de Bartonella bacilliformis no Peru, inexistentes são os estudos acerca da ocorrência e identidade molecular deste grupo de bactérias em flebotomíneos no Brasil, que alberga uma enorme diversidade de dípteros Psychodidae do mundo. Adicionalmente, a transfusão de sangue a partir de doadores infectados e assintomáticos configura uma possível e negligenciada forma de transmissão destes agentes. O presente estudo objetiva investigar a diversidade genética de Bartonella spp. em amostras de sangue ou baço de cães, gatos, quirópteros, aves selvagens e em espécimes de dípteros Psychodidae e Ceratopogonidae no Brasil. Amostras de sangue de cães (n=200) e gatos (n=200) submetidas a exames de rotina de patologia clínica e de doadores de sangue no Distrito Federal serão submetidas à cultura para Bartonella spp. utilizando abordagem que combina enriquecimento em meio líquido BAPGM (Bartonella Alpha Proteobacteria Growth Medium) e isolamento em ágar chocolate, seguida de ensaios de PCR em tempo real (qPCR) e convencional (PCR) para Bartonella spp. baseados em inúmeros marcadores moleculares. Isolados de B. henselae de amostras de sangue de cães e gatos serão genotipados pela técnica de Multilocus Sequence Typing (MLST). Amostras de sangue de cães e gatos do Distrito Federal, aves (n=817) do Pantanal mato-grossense e sul-matogrossense, amostras de baço de morcegos dos estados do Acre (n=353) e Pará (n=229), e amostras de dípteros Psychodidae (n=976) e Ceratopogonidae (n=300) de diversos estados das regiões Norte e Nordeste do país serão submetidas à extração de DNA e ensaios de qPCR e PCR para Bartonella spp. baseados em diversos alvos gênicos, seguidos de sequenciamento pelo Método de Sanger e inferências filogenéticas. A presente proposta contribuirá para o entendimento da diversidade genética de Bartonella spp. em cães, gatos, morcegos, aves selvagens e dípteros Psychodidae e Ceratopogonidae no Brasil. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MONGRUEL, ANNA CLAUDIA BAUMEL; MEDICI, EMILIA PATRICIA; CANENA, ARIEL DA COSTA; DIAS, CLARA MORATO; MACHADO, ROSANGELA ZACARIAS; ANDRE, MARCOS ROGERIO. Molecular evidence of Bartonella spp. in wild lowland tapirs (Tapirus terrestris), the largest land mammals in Brazil. COMPARATIVE IMMUNOLOGY MICROBIOLOGY AND INFECTIOUS DISEASES, v. 101, p. 8-pg., . (22/08543-2, 19/26403-0)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas utilizando este formulário.