Busca avançada
Ano de início
Entree

Integrando evolução, biogeografia e ecologia para entender os padrões de biodiversidade na Mata Atlântica

Processo: 22/04012-2
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2022 - 31 de outubro de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Valor Concedido/Desembolsado (R$): 64.936,00 / 0,00
Pesquisador responsável:Fernando Rodrigues da Silva
Beneficiário:Fernando Rodrigues da Silva
Instituição Sede: Centro de Ciências e Tecnologias para a Sustentabilidade (CCTS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba , SP, Brasil
Pesquisadores associados: Alexandre Marcos Antonelli ; Ana Carolina Oliveira de Queiroz Carnaval ; Diogo Borges Provete
Assunto(s):Biogeografia  Macroecologia  Ecologia de comunidades  Evolução  Biodiversidade  Mata Atlântica 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Biogeografia | Ecologia de Comunidades | Evolução | Macroecolgia | Macroecologia

Resumo

Compreender como especiação, extinção e dispersão influenciaram a distribuição e a diversidade das espécies atuais na região Neotropical tem sido um dos tópicos mais intrigantes em ecologia e biogeografia. Embora a Mata Atlântica esteja entre as florestas tropicais mais ricas em espécies do mundo, são raros os estudos integrando abordagens evolutivas, biogeográficas e ecológicas para avaliar os processos que explicam a biodiversidade desta região. Neste projeto, proponho integrar hipóteses e abordagens que são aplicadas frequentemente de forma isolada em diferentes disciplinas para aprofundar nossa compreensão sobre os processos que moldam os padrões de diversidade de vertebrados terrestres (aves, anuros, mamíferos e Squamata) na Mata Atlântica. Para isso, proponho dois objetivos principais: i) delimitar regiões biogeográficas com base em algoritmos e unidades amostrais padronizadas; e ii) usar abordagens evolutivas e biogeográficas para estimar a taxa de diversificação e dispersão em diferentes regiões geográficas ao longo do tempo. Considero este projeto inovador, pois integra abordagens e teorias de diferentes disciplinas (biologia evolutiva, biogeografia e ecologia) para entender como a biodiversidade da Mata Atlântica emergiu e como ela varia no espaço e no tempo. Além disso, o projeto contribuirá para a formação de estudantes de graduação e pós-graduação, estabelecer redes de colaboração internacional e aumento do reconhecimento nacional e internacional do Laboratório de Ecologia Teórica: Integrando Tempo, Biologia e Espaço (LET.IT.BE). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)