Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um coquetel antibacteriano complexo e sua aplicação em processos fermentativos industriais

Processo: 21/12144-3
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de março de 2022 - 31 de agosto de 2024
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Convênio/Acordo: SEBRAE-SP
Pesquisador responsável:Marcelo Ventura Rubio
Beneficiário:Marcelo Ventura Rubio
Empresa Sede:Bioprocess Improvement Consultoria e Pesquisas em Bioprocessos Ltda
CNAE: Fabricação de aguardentes e outras bebidas destiladas
Fabricação de malte, cervejas e chopes
Fabricação de álcool
Município: Campinas
Pesquisadores principais:
Carlos Eduardo Calmanovici ; Daniel Ibraim Pires Atala ; Luciano Armiliato
Auxílios(s) vinculado(s):21/14964-8 - Desenvolvimento de um coquetel antibacteriano complexo e sua aplicação em processos fermentativos industriais, AP.PIPE
Bolsa(s) vinculada(s):23/00840-0 - Controle biológico da contaminação bacteriana e sua aplicação em processos fermentativos industriais, BP.TT
22/01727-0 - Controle biológico da contaminação bacteriana e sua aplicação em processos fermentativos industriais, BP.TT
22/01723-5 - Desenvolvimento de um coquetel antibacteriano complexo e sua aplicação em processos fermentativos industriais, BP.PIPE
Assunto(s):Bacteriófagos  Controle biológico  Contaminação  Fermentação alcoólica  Fermentação industrial  Antibacterianos  Bioprocessos  Lactobacillus 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Bacteriófagos | Contaminação bacteriana | Controle Biológico | Coquetel antibacteriano | Fermentação Alcóólica | Processo Fermentativos Industriais | Controle bacteriano de bioprocessos industriais

Resumo

Um dos principais problemas da fermentação alcoólica em usinas é a perda de açúcares e de aumentos nos custos decorrentes de contaminação bacteriana por bactérias ácido-láticas do gênero Lactobacillus. Dependendo da espécie de Lactobacillus, as perdas na produção de etanol podem chegar a 27% elevando o custo de produção tanto pelo baixo rendimento quanto no aumento do uso de antibióticos. Os níveis de contaminação podem atingir 108 unidades formadoras de colônias por mL causando impactos negativos na fermentação, como alteração de pH devido à produção de ácido lático, competição pelos açúcares com as leveduras do processo, além da floculação, com grandes impactos na eficiência da fermentação. O objetivo desse trabalho é desenvolver um processo de controle biológico utilizando uma grande variedade de bacteriófagos, como alternativa aos antibióticos, para minimizar o problema de contaminação bacteriana em dornas de fermentação alcoólica e/ou outros processos industriais. As vantagens do tratamento fágico em relação aos antibióticos são: efetividade contra bactérias resistentes a várias drogas; capacidade de destruir somente bactérias-alvo, não alterando a microbiota natural; apresenta resposta rápida ao aparecimento de bactérias mutantes resistentes, porque a frequência de mutação do fago é significativamente maior que a da bactéria; apresenta menor custo de desenvolvimento comparado com um novo antibiótico; e são raros os efeitos colaterais. Como principais resultados obtidos através do projeto PIPE fase 1 (2017/08756-8), tem-se a criação de um banco de bactérias, ainda pequeno, contendo mais de 50 bactérias contaminantes do ambiente produtivo, isolamento de mais de 20 fagos com atividade lítica e a construção de um coquetel de fagos com ação em controle de fermentação alcoólica em escala laboratorial que permitiram controlar a contaminação induzida trazendo ganhos consistentes de rendimento e de performance, ainda que existam pontos de esclarecimentos que serão sanados em ensaios em escala piloto e industrial como: efeito do reciclo de leveduras; efeito do tratamento ácido; redução da carga bacteriana; melhor etapa do processo para aplicação; definição de aplicações de manutenção; e dose de choque. A criação de um coquetel eficiente com um vasto espectro de ação antibacteriana permitirá a substituição do uso de antibióticos em processos industriais, impedindo o desenvolvimento de microrganismos resistentes, a formação de biofilmes bacterianos nas paredes das dornas e outros equipamentos (de difícil remoção e que persistem à limpeza e muitas vezes contaminam a fermentação subsequente) e desvalorização de coprodutos devido a resquícios de antibióticos. Além disso, a utilização de um coquetel fágico apresenta um grande potencial, pois possui diversas novas aplicações nas áreas de medicina, saúde alimentar humana e animal e descontaminação ambiental. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)