Busca avançada
Ano de início
Entree

A importância do toque social para o desenvolvimento sócio-emocional infantil: integrando evidências de neuroimagem, psicofisiológicas, endócrinas e comportamentais

Processo: 21/06693-4
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Jovens Pesquisadores - Fase 2
Vigência: 01 de maio de 2022 - 30 de abril de 2027
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Pesquisador responsável:Ana Alexandra Caldas Osório
Beneficiário:Ana Alexandra Caldas Osório
Instituição Sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM). Instituto Presbiteriano Mackenzie. São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores associados: Adriana Sampaio ; Ana Raquel Marcelino Mesquita ; Helga de Oliveira Miguel ; Laura Pirazzoli ; Miriam Oliveira Ribeiro ; Rickson Coelho Mesquita ; Sarah Lloyd-Fox ; Simone G. Shamay-Tsoory
Vinculado ao auxílio:14/06777-0 - Ocitocina e viés racial: impacto da administração intranasal de ocitocina na empatia à dor física e nas percepções de ameaça em contextos raciais, AP.JP
Bolsa(s) vinculada(s):22/14425-2 - Respostas neurais ao toque de bebês de 6 meses: diferenças entre toque materno e de uma pessoa não familiar, BP.IC
22/13637-6 - Respostas neurais de bebês de 6 meses ao toque com a mão versus colher, BP.IC
Assunto(s):Neurociências  Desenvolvimento emocional  Desenvolvimento social  Bem-estar  Infância  Bebês 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:developmental neuroscience | fNIRS | hyperscanning | social touch | stress response | Neurociência do Desenvolvimento

Resumo

O toque é fundamental para o estabelecimento de vínculos afetivos entre as pessoas e para o seu bem-estar. O estudo da experiência do toque interpessoal é particularmente importante na primeira infância, uma vez que é a forma mais fundamental de cuidado parental. No entanto, o estudo desta modalidade sensorial permanece surpreendentemente negligenciado. Mais especificamente, pouco se sabe sobre a percepção e o processamento do toque social, bem como seu impacto nas respostas adaptativas ao estresse em bebês. Esta proposta de Jovem Pesquisador FAPESP (Fase 2) está organizada em quatro estudos que visam questões e métodos de pesquisa complementares que contribuirão substancialmente para o avanço do conhecimento científico sobre o toque social na infância. O Estudo 1 visa esclarecer os padrões de ativação neural em resposta ao toque social em bebês, enquanto o Estudo 2 irá analisar o impacto da identidade do parceiro (mãe versus mulher desconhecida) nas respostas neurais e cardíacas ao toque social no primeiro ano de vida. Por sua vez, o Estudo 3 visa esclarecer o potencial papel mediador desses padrões de ativação cardíaca e neural na relação entre os comportamentos de toque materno e as respostas endócrinas e comportamentais ao estresse no bebê. Finalmente, o Estudo 4 será dedicado ao desenvolvimento de um novo protocolo de hyperscanning com fNIRS para aplicação em interações bebê-cuidador o qual, por sua vez, permitirá a avaliação da sincronia neural e cardíaca da díade durante uma interação de toque. Os estudos que compõem esta proposta visam ampliar significativamente o conhecimento científico sobre a caracterização e importância do toque social, integrando evidências de neuroimagem funcional, psicofisiologia, endocrinologia e comportamento em uma idade crítica do desenvolvimento sócio-emocional. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)