Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão da endotelina-1, endotelina-3, e receptores de endotelina-A e B na epiderme e derme superior da pele com melasma facial, em comparação com a pele sã adjacente, em mulheres adultas

Processo: 21/08361-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2021 - 31 de outubro de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Hélio Amante Miot
Beneficiário:Hélio Amante Miot
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Ana Cláudia Cavalcante Espósito
Assunto(s):Dermatologia  Melanose  Melaninas  Endotelinas  Receptores de endotelina  Imunofluorescência  Mulheres 

Resumo

Melasma é uma hipermelanose crônica adquirida, caracterizada por manchas de coloração acastanhada em áreas fotoexpostas, especialmente a face. Afeta principalmente mulheres no menacme e implica impacto na qualidade de vida e sofrimento psíquico. O desencadeamento do melasma está relacionado a predisponentes genéticos em associação a características individuais e exposição a fatores ambientais. A exposição crônica à radiação ultravioleta é o mais importante dentre os fatores ambientais de desencadeamento. Sua fisiopatologia não foi completamente elucidada, mas envolve o aumento da produção local de melanina induzida por diversos fatores melanogênicos, sendo que alguns já são conhecidos, como alfa-MSH, SCF, HGF, KGF, NGF. Outros fatores têm despertado crescente interesse na regulação da pigmentação cutânea do melasma, como as endotelinas e seus receptores. As endotelinas são peptídeos produzidos pelas células endoteliais e células musculares lisas das paredes dos vasos sanguíneos. Têm potente efeito no tônus vasomotor, produção hormonal e diferenciação celular, assumindo papel regulatório no equilíbrio hidro-pressórico dos sistemas cardiovascular e renal. As endotelinas são também produzidas por queratinócitos expostos à radiação ultravioleta B que, em comunicação parácrina com os melanócitos das unidades epidermo-melânicas, induzem a melanogênese através de ativação de receptores específicos na superfície dos melanócitos, como o Receptor de Endotelina 3 (EDNRB). O aumento de elementos vasculares na derme superior da pele com melasma, acompanhado de outras alterações inflamatórias RUV-induzidas, sugere a associação entre o aumento da secreção de endotelinas pelos queratinócitos epidérmicos e pelas células endoteliais dérmicas e seu efeito melanogênico na epiderme sobrejacente, compondo parte do complexo (e não completamente esclarecido) vínculo fisiopatogênico entre as alterações de senescência dérmica e seus efeitos na instalação, manutenção e recidiva do melasma. Apesar de já estabelecida experimentalmente a associação positiva entre endotelina e melanogênese, além de evidenciados níveis elevados desse fator na epiderme sobrejacente à derme hipervascularizada de lesões vasculares benignas e em outras desordens pigmentares (como o lentigo solar), esta relação ainda não foi avaliada de forma sistemática na pele acometida por melasma. O presente estudo tem como objetivo avaliar a expressão tecidual de Endotelina-1, Endotelina-3, e dos receptores de Endotelina-A e -B na pele com melasma facial em comparação com a pele sã adjacente. Este projeto trata-se de estudo transversal, envolvendo fragmentos de pele (biópsia por punch 3 mm do melasma e pele sã adjacente) de 20 mulheres adultas (e 18 anos) com melasma facial. As participantes da pesquisa foram mulheres com melasma facial que estavam sem tratamento há pelo menos 30 dias prévios às biópsias, exceto pelo uso de filtro solar. Será realizada reanálise dos fragmentos de pele obtidos e estudados em projeto prévio: "Avaliação da autofagia e senescência na epiderme e derme superior da pele com melasma em comparação com a pele sã adjacente", o qual foi submetido ao comitê de ética e pesquisa da FMB - UNESP e aprovado. Os fragmentos, de ambas as topografias, após desparafinização, serão submetidos a imunofluorescência de tripla marcação: (a) anti-Endotelina-1, anti-vimentina, DAPI; (b) anti-Endotelina-3, vimentina, DAPI; (c) anti-Receptor de Endotelina-A, anti-vimentina, DAPI; (d) anti-Receptor de Endotelina-B, vimentina, DAPI. As lâminas resultantes serão fotografadas em microscópio de fluorescência. A intensidade das marcações será avaliada quantitativamente através do software ImageJ e as marcações serão comparadas entre a pele com melasma e a pele adjacente sã, nas seguintes células de interesse: queratinócitos, melanócitos da camada basal, melanócitos em pêndulo e fibroblastos da derme superior. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)