Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da inalação de fumaça de cigarro no desenvolvimento da periodontite apical: análise do perfil inflamatório local e sistêmico em ratos Wistar

Resumo

A infecção endodôntica ocorre principalmente após contaminação do tecido pulpar levando à uma colonização bacteriana dos canais radiculares resultando em uma resposta inflamatória dos tecidos periapicais e à formação de uma lesão periapical, a Periodontite Apical (PA). O tabagismo é considerado um grande fator de risco para infecções bucais, estudado principalmente na doença periodontal, pois influencia diretamente tecidos gengivais, ligamento periodontal sistema vascular, resposta inflamatória e metabolismo ósseo. Levando em considerações tais alterações sistêmicas na resposta tecidual, o objetivo deste estudo será avaliar em ratos Wistar a influência do tabagismo no perfil inflamatório da PA. Quarenta animais serão divididos em 4 grupos (n=10): AP (ratos com periodontite apical induzida); S (ratos expostos à fumaça do cigarro); SAP (ratos com periodontite apical induzida e expostos à fumaça do cigarro); Controle (ratos sem PA e sem exposição ao cigarro). Para a exposição à fumaça do cigarro, os animais permanecerão em uma câmara de tabagismo por 8 min, três vezes ao dia. Os animais serão expostos a fumaça do cigarro 20 dias antes da indução da PA. Para indução da AP, as polpas dos primeiros molares superior e inferior direitos serão expostas ao meio bucal por 30 dias, durante os quais continuarão a exposição a fumaça dos cigarros, totalizando 50 dias de exposição ao fumo. Serão analisados parâmetros hematológicos (série vermelha e série branca); Níveis séricos dos marcadores do metabolismo ósseo: cálcio, fosforo e fosfatase alcalina; Níveis séricos de nicotina e cotinina; após eutanásia, as maxilas e mandíbulas serão removidas e reduzidas. As mandíbulas seguirão diretamente para análise do volume da reabsorção óssea na periodontite apical através de microtomografia computadorizada. Em seguida, as amostras serão incluídas em parafina para avaliação do perfil inflamatório por coloração em hematoxilina-eosina para analise morfológica e histomorfométrica (caracterização e quantificação de células inflamatórias), detecção macrofágica em imuno-histoquimica; Expressão das interleucinas IL-6, IL-1² e TNF-± como indicadores da inflamação local; Expressão da RANKL e OPG como indicadores da reabsorção óssea; e avaliação das fibras colágenas do ligamento periodontal por birrefringência em Picrosirius red. Os dados obtidos serão tabulados e submetidos a análise estatística com nível de significância de 5%. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)