Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo molecular da relação entre Leishmania (Leishmania) infantum e seus hospedeiros mediada por vesículas extracelulares e micro-RNAs

Processo: 21/02217-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2021 - 31 de outubro de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Vera Lúcia Pereira Chioccola
Beneficiário:Vera Lúcia Pereira Chioccola
Instituição-sede: Instituto Adolfo Lutz (IAL). Coordenadoria de Controle de Doenças (CCD). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Gabriela Motoie ; Roberto Mitsuyoshi Hiramoto
Assunto(s):Citocinas  Leishmaniose visceral animal  MicroRNAs  Vesículas extracelulares  Parasitologia 

Resumo

As leishmanioses constituem um grupo de zoonoses causadas pelo gênero Leishmania. Acometem a pele, mucosas e/ou vísceras do homem, de animais domésticos e silvestres. Constituem um sério problema de saúde pública mundial, sendo que cerca de 350 milhões de indivíduos no mundo estão expostos à doença. Em relação à leishmaniose visceral (LV), indivíduos infectados apresentam longos períodos febris, perda de peso, anemia e alterações em órgãos internos como baço e fígado, que podem conduzir debilidade progressiva e evolução para óbito. Apesar dos programas de controle brasileiros, as áreas de ocorrência da infecção estão em expansão no Brasil. Os cães domésticos são os maiores reservatórios da LV e de grande importância epidemiológica. Por conseguinte, a alta prevalência da leishmaniose visceral canina (LVC) está associada a casos humanos. Desde a introdução da LVC no estado de São Paulo, mais de 175 municípios contam com a presença da LV. Estes dados são suficientes para o desenvolvimento de novas estratégias de controle, diagnóstico, tratamento e informações às populações em risco. Estudos recentes demonstram a importância das vesículas extracelulares (EVs) produzidas por células eucarióticas, principalmente na comunicação celular. EVs são encontradas nos fluidos biológicos e estão envolvidas no carreamento de moléculas como os micro-RNAs (miRNAs), proteínas, lipídeos, DNA, dentre outros. Exercem funções especializadas e desempenham papel chave na sinalização intercelular, gestão de resíduos, resposta imune, dentre outras funções. Contudo a importância das EVs no mecanismo da infecção por Leishmania (Leishmania) infantum, causadora da LV ainda não está elucidada. O objetivo da presente proposta é o de investigar a participação das vesículas extracelulares e miRNAs na modulação das respostas imune humoral e celular de hospedeiros infectados por L. (L.) infantum. Os cães foram escolhidos para o nosso estudo, pela a importância epidemiológica deste hospedeiro na LV. As EVs serão purificadas de promastigotas de L. (L.) infantum mantidos em culturas axênicas e, posteriormente, caracterizadas por métodos de rastreamento de moléculas e de microscopia eletrônica (transmissão e varredura). A seguir serão investigadas as interações das EVs de L. (L.) infantum com células fagocíticas THP-1 e com esplenócitos de camundongos. Adicionalmente serão avaliadas se estas células estimuladas e RNA(s) extraídos de soros de cães com LVC são capazes de produzir citocinas anti e pro-inflamatórias. Igualmente será investigada a capacidade destas EVs em estimular a resposta imune humoral de cães com LVC realizando ensaios imunológicos. A segunda parte do projeto será dedicada ao estudo das espécies de miRNAs de soros de cães com LVC possam estar envolvidos na infecção. Os resultados esperados serão importantes para compreender a relação patógeno/hospedeiro e avaliar o papel das EVs na evolução da LVC. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)