Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo piloto de associação entre taquicardia atrial não sustentada e a rigidez arterial em pacientes hipertensos

Resumo

OA pressão arterial (HAS) é uma condição multifatorial presente em 30 a 45% dos adultos, está frequentemente associada a distúrbios metabólicos, alterações funcionais e/ou estruturais de órgãos-alvo, sendo agravada mediante fatores de risco, tais como, dislipidemia, obesidade e diabetes mellitus. Pode estar presente em eventos como morte súbita, acidente vascular encefálico, infarto agudo do miocárdio e insuficiência cardíaca. A rigidez arterial é o mecanismo mais importante da fisiopatologia da hipertensão isolada, e a velocidade da onda de pulso carotídeo-femoral (VOP) é o método padrão-ouro para medir a rigidez das grandes artérias. A fibrilação atrial é a arritmia mais comum na prática clínica atingindo cerca de 33 milhões de indivíduos no mundo, e tem a hipertensão arterial como um dos fatores de risco, no entanto, pouco se sabe sobre as fases ditas "pré fibrilatórias" que possuem relevância considerável no acompanhamento ambulatorial de pacientes hipertensos. Diante dos fatos acima descritos, o objetivo deste estudo é entender a associação entre a ocorrência de episódios de taquicardia atrial não sustentada (TANS) de 10 ou mais batimentos ao Holter de 24 horas e a velocidade de onda de pulso carótido-femural, e aos biomarcadores séricos BNP e Troponina I, além de avaliar a correlação entre volume indexado de átrio esquerdo e velocidade da onda de pulso arterial. Serão selecionados 50 pacientes consecutivos com TANS do Serviço de Holter e 50 pacientes sem TANS, com diagnóstico de Hipertensão Arterial Primária no ambulatório das Unidades de Arritmias Cardíacas e Hipertensão Arterial do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Os pacientes selecionados realizarão os exames de VOP, Ecocardiograma Transtorácico com mensuração de volume do átrio esquerdo indexado, dosagem de eletrólitos (K+, Ca++ e Mg), BNP e Troponina I, e Holter quando necessário. Trata-se de estudo transversal, de natureza exploratória, de característica tipo piloto, a associação entre as variáveis será analisada a partir de modelo de escore de propensão por regressão logística. Espera-se deste estudo melhor entendimento acerca da fisiopatologia de estados "pré-fibrilatórios", expandindo o conhecimento sobre o assunto, uma vez que visa checar se a rigidez arterial elevada nos pacientes hipertensos poderia estar associada a maior densidade de ectopia atrial em Holter de 24h, identificando pacientes que possam se beneficiar de metas de tratamento mais rígidas e de um seguimento clínico mais frequente, inclusive candidatos a potenciais tratamentos específicos para diminuir a rigidez aórtica que possam surgir no futuro. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)