Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da própolis no modelo experimental da Doença de Parkinson induzida pela 6-OHDA

Processo: 20/12791-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2021 - 30 de setembro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Carla Alessandra Scorza Bahi
Beneficiário:Carla Alessandra Scorza Bahi
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Antônio Carlos Guimarães de Almeida
Assunto(s):Neurociências  Doenças neurodegenerativas  Doença de Parkinson  Neuroproteção  Produtos naturais  Própolis 

Resumo

A doença de Parkinson (DP) é um distúrbio neurodegenerativo incurável e comum nos idosos, caracterizada pela depleção de dopamina na via nigroestriatal. Tradicionalmente, a DP tem sido diagnosticada como um distúrbio puramente motor. Porém, os pacientes apresentam uma vasta gama de sinais e sintomas não motores que surgem, geralmente, no estágio pré-motor da doença. A disfunção cardiovascular autonômica é uma manifestação não motora comum na DP associada ao aumento da morbimortalidade. O tratamento clínico convencional alivia os sinais motores, por meio de terapias medicamentosas de reposição de dopamina, mas não altera a progressão da doença e falha no manuseio dos sinais não motores, complicando o manejo farmacológico dos pacientes. A crescente demanda por terapias mais eficazes para tratar as manifestações motoras, e não motoras da DP, apoia a importância das abordagens translacionais baseadas no uso de modelos animais adequados. Os fatores relacionados ao estilo de vida, como a nutrição, são fatores modificáveis determinantes nas doenças crônicas. A própolis verde brasileira, um produto natural, é fonte de uma variedade de componentes bioativos com importantes ações biológicas e farmacológicas descritas na literatura científica, mas seus efeitos na DP ainda são pouco explorados. Neste trabalho, será utilizado o modelo de doença de Parkinson induzido pela 6-hidroxidopamina (6-OHDA), caracterizado pela degeneração parcial da via dopaminérgica nigroestriatal após a injeção de 6-OHDA no estriado. Além dos prejuízos motores, os ratos com PD induzida pela 6-OHDA exibem uma variedade de disfunções não motoras, como as cardiovasculares. A partir disto, o presente projeto propõe investigar os efeitos da própolis verde brasileira nos parâmetros cardiovasculares, na neuroproteção, na ativação das glias, nos metabólitos cerebrais e cardíacos, nos mecanismos não sinápticos e, por fim, nos desfechos motores e emocionalidade dos ratos com PD induzida pela 6-OHDA. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)