Busca avançada
Ano de início
Entree

Eriocitrina: implicações sobre marcadores pró-resolutivos da inflamação

Resumo

Recentemente verificamos que eriocitrina (ERIOC) apresenta propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e sinalizou estimular fatores pró-resolutivos. Portanto, as informações do impacto da ERIOC no estímulo de marcadores e mecanismos pró-resolutivos exigem cuidadosa depuração o que contribuirá para a construção sólida de conteúdos científicos mais abrangentes e eventualmente aplicados. Esta proposta se concentra na detecção da troca ativa de mediadores pró inflamatórios para a produção de mediadores de pró-resolução utilizando flavonoide cítrico (ERIOC) numa estratégia de acelerar a fase de resolução da inflamação, evitando estímulos inflamatórios crônicos. A hipótese é que a suplementação alimentar com ERIOC module o processo imune inflamatório, estimulando eventos anti-inflamatórios, pró-resolutivos. O subprojeto #1 visa avaliar, in vivo, o impacto da suplementação alimentar com ERIOC sobre a natureza e ação do infiltrado de leucócitos durante a reação inflamatória nos tecidos periodontais, assim como, sobre a geração de mediadores químicos, em protocolo experimental de doença inflamatória periodontal induzida por injeções de LPS. Camundongos serão tratados com dieta padrão ou dieta enriquecida com ERIOC durante 60 dias nas concentrações de 25 e 50 mg/kg de peso corporal/dia. No 30º dia os animais serão submetidos a injeções de LPS de Escherichia coli nos tecidos gengivais adjacentes a face palatina dos primeiros molares superiores, 3x/semana por 4 semanas. Ao final do período experimental, os camundongos serão eutanasiados e as amostras coletadas para análise do volume ósseo, através de microtomografia computadorizada; análise microscópica dos maxilares, do tecido hepático e da mucosa gástrica; quantificação de lipoxina A4 e avaliação da expressão das citocinas IL-1², TNF±, IL-4, IL-5, IL-6, IL-8, IL-10, IL-13, TGF², GM-CSF por imunoensaio multiplex; ensaio imunoenzimático (ELISA) para avaliação de leucotrieno B4 e prostaglandina E2; imuno-histoquímica para marcação de macrófagos (M1/M2) e do fator de transcrição PPAR-³ nos maxilares. Subprojeto #2: avaliar, in vitro, a ação da ERIOC sobre a atividade de fibroblastos e macrófagos. Fibroblastos L929 serão cultivados concomitante a diferentes tratamentos de acordo com cada grupo. Serão realizadas análises de proliferação celular e citotoxicidade (Alamar blue e MTT - 1, 3 e 7 dias); atividade migratória (ensaio de arranhão - 24 e 72hrs); síntese de colágeno (Hidroxiprolina e Picrosirius - 3 e 7 dias); expressão de fatores de crescimento FGF e TGF-²1 (ELISA - 3 e 7 dias). No ensaio com macrófagos (RAW264.7), as células serão incubadas com LPS de Escherichia coli + IFN-³ e simultaneamente tratados com eriocitrina durante 48 horas. Serão realizadas análises de qPCR para avaliar a expressão de marcadores do fenótipo M1 e M2, quantificação dos fenótipos M1 e M2 por citometria de fluxo e avaliação dos fatores de transcrição STAT1, STAT6 e PPAR-³ por Western blotting. Também será avaliado a expressão das citocinas IL-1², IL-4, IL-13, TNF-±, GM-CSF, TGF-² e IL-10 por imunoensaio multiplex. Ao final do estudo espera-se propor estratégias para promoção de eventos anti-inflamatórios e pró-resolutivos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)