Busca avançada
Ano de início
Entree

Cidades resilientes: soluções baseadas na natureza para minimizar efeitos da poluição atmosférica na saúde pública

Processo: 20/05383-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de setembro de 2021 - 31 de agosto de 2023
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Andreza Portella Ribeiro
Beneficiário:Andreza Portella Ribeiro
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Santo Amaro. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Carolina Yume Sawamura Theophilo ; Cleiton Jordão Santos ; David J Nowak ; Edson Gonçalves Moreira ; HARRY ALBERTO BOLLMANN ; José Eduardo Storopoli ; Maurício Lamano Ferreira ; Mitiko Saiki ; Paulo Hilário Nascimento Saldiva ; Viviani Milan Ferreira Rastelli
Assunto(s):Saúde pública  Políticas públicas  Poluição atmosférica  Poluição ambiental  Qualidade de vida  Geoestatística 

Resumo

Uma proposta de pesquisa fundamentada nos princípios das soluções baseadas na natureza será utilizada como forma de contribuição ao planejamento urbano de Guarujá, com intuito de apresentar à cidade o conceito de resiliência e sustentabilidade. Guarujá comporta a margem esquerda do Porto de Santos, na Baixada Santista, Estado de São Paulo, Brasil. O Porto de Santos desempenha protagonismo como alavanca de desenvolvimento econômico, tanto no contexto nacional como internacional. Entretanto, diante da intensa expansão das atividades nos terminais portuários, a cidade foi surpreendida com um importante gargalo de logística de escoamento da produção, o que gera intenso congestionamento de veículos motorizados, nas ruas e avenidas próximas a área portuária, que atingem bairros residenciais e comerciais. Além da perturbação da mobilidade urbana, a falta de fluidez no trânsito culmina em intensa emissão de gases e partículas oriundas da frota de caminhões, resultando em aumento da poluição atmosférica. A falta de um planejamento estratégico para equacionar a logística de escoamento da produção, fragiliza a efetividade do Plano Diretor Municipal e da Agenda 21 de Guarujá. Para quantificar os contaminantes do ar e verificar seus impactos na saúde dos moradores, o estudo aplicará um protocolo de baixo-custo para avaliação da qualidade do ar: o monitoramento biológico combinado a técnicas de geoprocessamento. A contribuição científica do estudo se deve à utilização de dois modelos geoestatísticos: (i) Modelo de Atenuação das Concentrações que permite verificar se existe correlação entre altas concentrações de contaminantes no material particulado e os casos de doenças respiratórias registrados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá. Os resultados permitirão a criação de um inventário sobre os poluentes atmosféricos oriundo do fluxo intenso de caminhões na região portuária, e seus efeitos à saúde da população. Com o inventário de poluentes atmosféricos será utilizado o segundo modelo estatístico, por meio do software i-Tree, que avaliará a infraestrutura verde local, os parâmetros de qualidade do ar e simulará os serviços ecossistêmicos e os benefícios econômicos e para a saúde, na área estudada. A valoração de serviços ecossistêmicos ainda não é padronizada, por outro lado, a relevância deste estudo se deve à possibilidade de entendimento e auxílio aos processos de tomadas de decisões considerando-se os valores (ambientais, saúde e econômicos) intrínsecos aos serviços prestados pelas áreas verdes. Os dados levantados na pesquisa indicarão potenciais medidas de atenuação dos contaminantes atmosféricos por meio de protocolos que se baseiem na própria natureza, tais como adensamento arbóreo em ruas e avenidas e criação de parques urbanos. Em relação ao fortalecimento de políticas públicas, o inventário de poluentes e a valoração dos serviços ecossistêmicos dará suporte às ações da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Guarujá (SEMAM), que poderá avaliar se o planejamento estratégico do Porto de Santos (Lei 8.630/93) está harmonizado com Plano Diretor do Município (Lei Complementar 156/2013). A pesquisa também dará subsídio a atualizações das sanções ambientais previstas no Código de Posturas do Município de Guarujá (Lei Complementar 44/1998). Caso o mapeamento dos poluentes indique riscos ao meio ambiente e à qualidade de vida, a SEMAM estudará alternativas pertinentes ao equacionamento do problema, priorizando o mínimo transtorno ou prejuízo (econômico, social e ambiental) à cidade de Guarujá. Nesse sentido, a SEMAM poderá estudar acordos setoriais na forma de compensação ambiental. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
THEOPHILO, CAROLINA YUME SAWAMURA; RIBEIRO, ANDREZA PORTELLA; MOREIRA, EDSON GONCALVES; ARANHA, SIDNEI; BOLLMANN, HARRY ALBERTO; SANTOS, CLEITON JORDAO; DE OLIVEIRA, ANDERSON; DOS SANTOS, SIDNEY; SAIKI, MITIKO; SALDIVA, PAULO HILARIO NASCIMENTO; FERREIRA, MAURICIO LAMANO. Biomonitoring as a Nature-Based Solution to Assess Atmospheric Pollution and Impacts on Public Health. Bulletin of Environmental Contamination and Toxicology, v. 107, n. 1, SI, p. 29-36, JUL 2021. Citações Web of Science: 0.
ANA PAULA GARCIA MARTINS; ANDREZA PORTELLA RIBEIRO; MAURÍCIO LAMANO FERREIRA; MARCO ANTONIO GARCIA MARTINS; ELNARA M. NEGRI; MARCOS ANTÔNIO SCAPIN; ANDERSON DE OLIVEIRA; MITIKO SAIKI; PAULO HILÁRIO NASCIMENTO SALDIVA; RAFFALE LAFORTEZZA. Infraestrutura verde para monitorar e minimizar os impactos da poluição atmosférica. Estudos avançados, v. 35, n. 102, p. 31-57, Ago. 2021.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.