Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de biofertilizante líquido por meio da vermicompostagem de resíduos orgânicos

Resumo

Um dos grandes desafios dos produtores rurais é dar destino adequado aos dejetos gerados em suas propriedades. Duas alternativas sustentáveis para tanto são os processos de compostagem e vermicompostagem. Na primeira se utiliza do metabolismo de microrganismos quimiorganotróficos aeróbicos, que são capazes de oxidar a matéria orgânica para a geração de energia necessária para se multiplicar, gerando um resíduo que pode ser incorporado ao solo e, devido às suas propriedades físico-químicas, elevar a produtividade rural. Na segunda alternativa se encontra a vermicompostagem, na qual o processo é otimizado com a inserção de minhocas no meio, gerando um resíduo orgânico mais rico devido à combinação do metabolismo das minhocas com o metabolismo dos microrganismos. A grande vantagem da vermicompostagem é a redução no tempo de compostagem, e a posterior utilização do resíduo gerado como biofertilizante, uma vez que contém milhões de bactérias e enzimas biologicamente ativas e é uma ótima fonte de substâncias húmicas e de nutrientes para as plantas, podendo apresentar cinco vezes mais nitrogênio e sete vezes mais potássio do que um solo. A grande dificuldade de se trabalhar com resíduos sólidos é a logística envolvida, uma vez que são necessárias quantidades muito grandes de aplicação no solo para alcançar o efeito desejado na produtividade, o que envolve custos com transporte, combustível e maquinaria específica para sua aplicação no campo. No entanto, é possível liquefazer os produtos da vermicompostagem, tendo como vantagens a redução de gastos com transporte e combustíveis, uma vez que o resíduo pode ser diluído e pulverizado junto com as águas de irrigação, e não necessita de grande volume de aplicação a campo. Este líquido extraído nos processos de compostagem é um verdadeiro ecossistema composto por milhares de espécies de fungos e bactérias do solo, protozoários e vários componentes da microfauna, além de substância húmicas que podem agir em processos de supressão de doenças, decomposição da matéria orgânica, fixação biológica de nitrogênio, formação de micorrizas e controle da ciclagem de nutrientes. Diante destas facilidades e benefícios que o vermicomposto líquido pode proporcionar, conforme atestado em testes de casa de vegetação e campo, pretendendo-se gerar resultados efetivos que mostrem que ele pode melhorar o desenvolvimento das plantas e, consequentemente, aumentar a produtividade agrícola, tornando-se um produto inovador, com grande atuação no condicionamento físico, químico e biológico do solo, capaz de competir com os fertilizantes minerais, minimizando o uso destes com ganho de produtividade de forma sustentável. Nossa proposta é realizar simultaneamente o processamento e reciclagem de resíduos orgânicos gerados pelas propriedades rurais e criar um produto que aumenta a produtividade agrícola e, sobretudo a qualidade do solo, com reduções de custo para o produtor rural. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)