Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma plataforma dermocosmética composta por máscaras faciais eletro-estimuladas

Processo: 20/09842-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de julho de 2021 - 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Camila Nunes Lemos
Beneficiário:Camila Nunes Lemos
Empresa:Inanocare Ltda. - ME
CNAE: Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Município: Ribeirão Preto
Pesq. associados:Bianca Aparecida Martin ; Luciana Facco Dalmolin ; Renata Fonseca Vianna Lopez ; Rogério Nunes Lemos
Bolsa(s) vinculada(s):21/08544-6 - Desenvolvimento de uma plataforma dermocosmética composta por máscaras faciais eletro-estimuladas, BP.PIPE
Assunto(s):Cosmetologia  Dermocosméticos  Ácido hialurônico  Fibroínas de seda  Terapia por estimulação elétrica  Doenças da pele e do tecido conjuntivo  Máscaras faciais  indústria cosmética 

Resumo

Atualmente, a preocupação com a estética tem crescido progressivamente, tanto para homens quanto para mulheres, o que aumenta o uso de cosméticos e leva à expansão das indústrias cosméticas. Para melhorar a saúde da pele, principalmente a da face, o uso de máscaras faciais tem sido cada vez mais recomendado por dermatologistas, tanto para fins estéticos quanto para tratamento de doenças da pele. As máscaras disponíveis no mercado clamam contribuir para uma melhor hidratação, firmeza e uniformidade da pele. Geralmente, no entanto, apresentam efeitos restritos à sua superfície, ou seja, o seu conteúdo fica limitado ao estrato córneo, camada mais externa da pele e os resultados costumam ser passageiros. Para a obtenção de resultados mais duradouros, os cuidados com a pele facial estendem-se para clínicas estéticas e dermatológicas, onde estímulos elétricos vêm sendo aplicados para a ativação e proliferação celular e estímulo da circulação sanguínea. O objetivo deste projeto é desenvolver máscaras faciais cosméticas passíveis de serem eletro-estimuladas pelo próprio consumidor. Géis condutores serão preparados a partir de polímeros que confiram propriedades físico-químicas ideais à formulação e que contribuam para o tratamento da pele, como a fibroína da seda e o ácido hialurônico. A fibroína da seda é um polímero natural extraído do casulo do bicho da seda, biodegradável, biocompatível, maleável e que pode contribuir para a sedosidade da pele. O ácido hialurônico, polímero natural constituinte da pele, é essencial para uma pele firme, hidratada e elástica. Serão avaliadas as propriedades reológicas e bioadesivas do gel na presença de sais condutores de corrente elétrica, assim como sua capacidade de conduzir uma corrente elétrica constante de baixa intensidade por período pré-determinado. Para aplicação da corrente elétrica (0,1, 0,2 e 0,4 mA) será desenvolvido um equipamento controlado por um arduíno que poderá ser conectado a um celular ou a um "power banking" via porta USB. Esse equipamento será controlado por um aplicativo de celular que permitirá que o consumidor escolha tanto a intensidade da corrente elétrica quanto o tempo de tratamento. O gel e eletrodos serão acoplados a um suporte físico, de material similar à um tecido sintético para construção da máscara facial. A melhor disposição e a quantidade de eletrodos necessário, o efeito da aplicação da corrente elétrica no gel e na liberação e penetração cutânea do ácido hialurônico serão avaliados in vitro, utilizando-se pele de orelha de porco. A capacidade de adesão e contato íntimo da máscara com todas as reentrâncias de um rosto também será avaliada. Estudos in vitro, em cultura de células de fibroblastos dérmicos humanos serão realizados para verificar se a produção de colágeno é aumentada quando em contato com o gel e estímulos elétricos. É esperado que o produto desenvolvido tenha grande aceitação pelo mercado consumidor, tanto pela facilidade e comodidade de utilização quanto pelo preço acessível. A máscara eletro-estimulada é uma inovação na dermocosmética, já que une a ação tópica de hidratação, firmeza e uniformidade com a capacidade de promover a penetração de substâncias ativas para as camadas mais profundas da pele, como é o caso do ácido hialurônico, constituinte essencial da epiderme viável. Além disso, esse produto inovador permitirá a aplicação de estímulos elétricos na pele pelo próprio consumidor, de forma simples, segura e rápida. Atualmente, no Brasil, esse tratamento está disponível apenas em clínicas dermatológicas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)