Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação bidirecional entre a periodontite apical e a fibrose hepática: estudo de inflamassomas, citocinas e anticorpo CD20

Processo: 20/09695-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2021 - 30 de junho de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Luciano Tavares Angelo Cintra
Beneficiário:Luciano Tavares Angelo Cintra
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Pesq. associados:Edilson Ervolino
Assunto(s):Citocinas  Fibrose hepática  Inflamassomos 

Resumo

Resumo: A inter-relação entre as alterações sistêmicas com o desenvolvimento e progressão de infecções orais como a periodontite apical tem sido objeto de intensos estudos nos últimos anos, especialmente por nosso grupo de pesquisa. O objetivo deste trabalho é analisar a relação bidirecional entre a periodontite apical (PA) e a fibrose hepática (FH) por meio do estudo do inflamassoma NLRP3, das citocinas IL-1², IL-18 e IL-17, e do anticorpo CD20 em camundongos Wild-Type e Nlrp3tm1Hhf/J knockout. Quarenta camundongos Wild-Type (WT) serão divididos em 4 grupos (n=10): Grupo WT (controle); Grupo PA-WT: portadores de PA; Grupo FH-WT: portadores de FH; Grupo PA+FH-WT: portadores de FH e PA. Outros quarenta camundongos Nlrp3tm1Hhf/J knockout (KO) serão divididos em 4 grupos (n=10): Grupo KO (controle); Grupo PA-KO: portadores de PA; Grupo FH-KO: portadores de FH; Grupo PA+FH-KO: portadores de FH e PA. A FH será induzida por processo químico e cirúrgico. Será administrado Tetracloreto de Carbono (CCl4) na dosagem de 0,5µL/g de peso corporal, 2 vezes por semana, via intraperitoneal, e durante todo o experimento (60 dias). Após 30 dias do início da administração da droga, será realizado procedimento cirúrgico para ligadura do ducto biliar. Em seguida, a PA será induzida por meio de exposição pulpar dos primeiros e segundos molares superiores e inferiores direito. Após mais 30 dias, os camundongos serão eutanasiados e as mandíbulas, assim como os fígados, serão coletados para análise em microscopia de luz. O tecido hepático será analisado em coloração de Hematoxilina-Eosina (H&E) e Picrosírius Red para verificação do grau de fibrose hepática. As mandíbulas serão processadas para análise histológica em H&E. Os dois órgãos serão submetidos a análise imunoistoquímica para NLRP3, IL-1², IL-18, IL-17 e CD20. Os resultados obtidos serão analisados e comparados por testes estatísticos específicos para cada caso com nível de significância de 5% (p<0,05). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)