Busca avançada
Ano de início
Entree

Qual é o método mais preciso para detectar lesões de cárie? Uma revisão sistemática

Resumo

Objetivo: realizar uma revisão sistemática e metanálise do desempenho de diferentes métodos de detecção de lesões cariosas em dentes permanentes e decíduos, considerando todos os tipos de superfície dentária. Métodos: Dois revisores pesquisaram PubMed, Embase, Scopus e outras fontes até novembro de 2020 para identificar estudos publicados e não publicados em inglês. Nós nos concentramos em três métodos de detecção de cárie: inspeção visual (VI), radiográfica (RX) e baseada em fluorescência (LF). Incluímos estudos que investigaram pelo menos um desses métodos que: (1) avaliaram a precisão do método na detecção de lesões de cárie; (2) consideradas superfícies oclusais, proximais ou lisas livres em dentes decíduos ou permanentes; (3) usou um padrão de referência diferente de um dos três métodos; e (4) dados relatados sobre o tamanho e a precisão da amostra. Realizaram-se análises multiníveis, meta-regressões e comparações de curvas bivariadas de Receiver-Operating Characteristics. Resultados: Duzentos e quarenta manuscritos de 14.129 artigos inicialmente identificados atenderam aos critérios de inclusão. VI foi melhor do que RX em superfícies oclusais em todos os limiares de lesão de cárie e superfícies proximais de dentes permanentes apenas em todos os limiares de lesão em ambiente de laboratório. LF foi ligeiramente melhor do que VI para lesões avançadas nas superfícies oclusais dos dentes permanentes no ambiente clínico e para todas as lesões nas superfícies proximais dos dentes permanentes no ambiente de laboratório. Ainda assim, LF foi pior do que VI para lesões oclusais avançadas em dentes permanentes no ambiente de laboratório. Embora o LF tenha mostrado um desempenho ligeiramente melhor do que o VI com lesões avançadas, o último teve uma especificidade significativamente maior do que outros métodos em todas as configurações. Conclusão: A detecção visual de cárie por si só é adequada para a maioria dos pacientes na prática clínica diária, independentemente do tipo ou superfície dentária. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)