Busca avançada
Ano de início
Entree

O efeito anti-inflamatório do tomato-oleo resina recupera a disfunção cardíaca induzida pela obesidade modulando o manuseio de cálcio no miocárdio

Processo: 20/12578-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de junho de 2021 - 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Ana Lucia do Anjos Ferreira
Beneficiário:Ana Lucia do Anjos Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Inflamação  Obesidade  Cardiologia 

Resumo

Introdução/ Objetivos: Considerando a importância da inflamação na patogênese de doenças relacionadas à obesidade, incluindo disfunção cardíaca, surgiu o interesse em estratégias terapêuticas antiinflamatórias naturais. O licopeno é um carotenóide presente no tomate e nas frutas vermelhas que apresenta propriedades antiinflamatórias. Nesse sentido, avaliamos o efeito antiinflamatório da suplementação de tomate oleorresina na disfunção cardíaca relacionada à obesidade por meio da modulação da cinética do cálcio miocárdico. Métodos: Ratos Wistar machos foram inicialmente randomizados em 2 grupos experimentais: (Controle, n = 20) ou dieta rica em açúcar e gordura (HSF, n = 20) por 20 semanas. Na 20ª semana, uma vez detectada a disfunção cardíaca (remodelação cardíaca, disfunção sistólica e diastólica) pela ecocardiografia no grupo HSF, os animais foram divididos aleatoriamente para iniciar o tratamento com tomate oleorresina, realizando 4 grupos: Controle (n = 10); Controle + suplementação de tomate-oleorresina (Controle + Ly, n = 10); Suplementação de HSF (n = 10) ou HSF + tomate e oleorresina (HSF + Ly, n = 10). A tomate oleorresina foi misturada com óleo de milho equivalente a 10mg de licopeno / kg de peso corporal (PC) por dia e administrada por via oral, por gavagem, todas as manhãs por um período de 10 semanas. Foram analisados os parâmetros inflamatórios cardíacos pelo ensaio imunoenzimático (ELISA) e in vivo (ecocardiografia) e in vitro (estudo dos músculos papilares isolados do ventrículo esquerdo) da função cardíaca. Os grupos foram comparados por análise de variância de duas vias (ANOVA). Resultados: A dieta HSF induziu disfunção cardíaca (FS (%) C: 60,4 ± 1,3; C + Ly: 60,9 ± 1,3; HSF: 51,7 ± 1,3; HSF + Ly: 59,4 ± 1,4) e inflamação (TNF-±: C: 1,88 ± 0,41; C + Ly: 1,93 ± 1,01; HSF: 4,58 ± 1,99; HS-F + Ly: 2,03 ± 0,55; IL-6: C: 0,58 ± 0,16; C + Ly: 0,40 ± 0,16; HSF: 2,00 ± 0,45; HSF + Ly: 0,53 ± 0,26; MCP-1: C: 0,31 ± 0,08; C + Ly: 0,43 ± 0,22; HSF: 1,54 ± 0,32; HSF + Ly: 0,50 ± 0,16;). A suplementação com tomate oleorresina de melhorou a remodelação e disfunção cardíaca, a inflamação cardíaca e a cinética de cálcio do miocárdio. Conclusão: o efeito antiinflamatório da suplementação com tomate oleorresina tratou a disfunção cardíaca induzida pela obesidade por meio da modulação da manipulação de cálcio no miocárdio. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)