Busca avançada
Ano de início
Entree

Animais selecionados para ganho de peso pós-desmame possuem exigências de energia para mantença semelhantes, independentemente de sua classificação por consumo alimentar residual

Resumo

Dados de abate comparativo foram usados para determinar as exigências líquidas de energia de touros Nelore classificados como eficientes ou ineficientes de acordo com o consumo alimentar residual (CAR) e linhas de seleção (LS). Foram utilizados 67 touros Nelore das linhas seleção (SE) e controle (CO) do programa de seleção para ganho de peso pós-desmame. Os animais foram submetidos a ensaios de digestibilidade antes de serem submetidos ao ensaio de terminação. Dezesseis touros foram abatidos no início do ensaio de terminação, e sua composição corporal foi utilizada como base para os demais animais. Para as determinações da composição corporal, todos os componentes do corpo vazio foram pesados, triturados e subamostrados para análises químicas. A composição corporal inicial foi determinada por equações desenvolvidas a partir do grupo linha de base usando peso em jejum, gordura e proteína corporais. Animais baixo CAR (BCAR) e CO apresentaram menor consumo de matéria seca (CMS) e nutrientes (P <0,05) que animais alto CAR (ACAR) e SE, sem alterações nos coeficientes de digestibilidade (P> 0,05). Durante o ensaio de terminação, o CMS permaneceu menor para os animais BCAR e CO. O desempenho foi semelhante entre as classes de CAR, exceto para ganho de peso de corpo vazio que tendeu a ser maior para BCAR que para ACAR (P = 0,091). Animais SE apresentaram menor teor de gordura no corpo vazio (P = 0,005) que os CO. As carcaças tenderam a ser mais magras para animais BCAR que para ACAR (P = 0,080) e para SE que para CO (P = 0,066). Animais BCAR retiveram mais energia (P = 0,049) e apresentaram menor produção de calor (PC; P = 0,033) que os ACAR. A energia retida não foi influenciada pela LS (P = 0,165), mas a PC tendeu a ser maior para os animais SE quando comparados aos CO (P = 0,075). A exigência de energia líquida para mantença (ELm) foi menor para animais BCAR que para os ACAR (P = 0,009), e maior para animais SE que para os CO (P = 0,046). Houve tendência de interação entre CAR e LS (P = 0,063), sugerindo que a ELm foi menor para BCAR + CO que para ACAR + CO (P = 0,006), sem diferenças para animais SE (P = 0,527). A eficiência de utilização de ME para mantença (km) de animais BCAR e ACAR foi de 62,6 e 58,4%, respectivamente, e de animais SE e CO foram 59,0 e 62,1%, respectivamente. O programa de seleção para peso pós-desmame não melhorou a eficiência alimentar ao longo dos anos, com a classificação por CAR não sendo uma ferramenta de seleção promissora para animais SE. A classificação baseada no CAR parece ser útil em animais que não foram submetidos ao processo de seleção, sendo que animais BCAR apresentam menores exigências de energia que os ACAR. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)