Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da suplementação de Cu e Zn de alta biodisponibilidade sobre o desempenho reprodutivo de novilhas Nelore de sobreano (precocinhas) e de seus respectivos embriões em novilhas F1 (Nelore x Angus) nas condições amazônicas

Processo: 20/07582-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2021 - 31 de janeiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Convênio/Acordo: FAPEAM
Pesquisador responsável:Alexandre Vaz Pires
Beneficiário:Alexandre Vaz Pires
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesq. associados:Evandro Maia Ferreira ; Michel do Vale Maciel
Assunto(s):Bovinocultura de corte 

Resumo

Esse projeto visa estreitar os laços de pesquisa entre os Estados do Amazonas e de São Paulo na área de intensificação da bovinocultura de corte. Com isso, os objetivos desse projeto são: 1) Avaliar se as novilhas Nelore de sobreano que passaram por protocolo hormonal de indução de puberdade apresentam o mesmo desempenho reprodutivo comparado com novilhas que atingiram a puberdade espontaneamente. 2) Avaliar se a suplementação com microminerais (Cu, Zn e Mn) com alta biodisponibilidade pode aumentar o desempenho reprodutivo de novilhas Nelore de sobreano e de receptoras de embriões F1 (Nelore x Angus). Para isso serão realizados 2 experimentos, o Exp. I será realizado no Estado de São Paulo (ESALQ/USP) e o Exp. II no Estado do Amazonas (ICSEZ/UFAM). No Exp. I, 220 novilhas Nelore com 8 meses de idade serão alocadas em 4 tratamentos arranjados em esquema fatorial 2 x 2, no qual o fator nutricional consiste no uso de Cu, Zn e Mn de alta biodisponibilidade (hidroximinerais) ou mineralização convencional (sulfatos) na dieta das novilhas pré-púberes. O fator reprodutivo consiste em novilhas que serão submetidas a protocolo hormonal de indução da puberdade ou novilhas que atingirão a puberdade espontaneamente. Aos 15 meses de idade, as novilhas serão separadas em novilhas púberes e não púberes. As novilhas que apresentarem corpo lúteo (CL) em 2 Ultrassonografia (US) com 7 dias de intervalo serão considerada púbere espontaneamente. As novilhas sem CL aos 15 meses de idade serão submetidas a um protocolo hormonal de indução de ovulação e serão consideradas como novilhas induzidas à puberdade. Após essa etapa, todas as novilhas serão inseminadas, utilizando-se protocolo de IATF padrão. Após a IA, será avaliado a taxa de prenhez aos 20, 30 e 60 dias pós IA, para estimar as perdas embrionárias e a taxa de prenhez final. No Exp. II, vinte e oito novilhas do Exp. I, 7 de cada tratamento, passarão por Ovum pick up (OPU) no dia da retirada da P4 no protocolo de IATF do Exp. I para a produção de 300 embriões in vitro. Duzentas novilhas F1 (Angus x Nelore) com 8 meses de idade, com cerca de 200 Kg de peso corporal serão utilizadas como receptoras de embriões aos 15 meses de idade. As receptoras serão mantidas em 8 piquetes (4 para cada tratamento) com capim nativo das regiões de várzea do baixo Amazonas, sendo que metade das receptoras serão suplementadas com hidroximinerais e a outra metade receberá apenas mineralização convencional (sulfatos). As receptoras receberão os embriões por TETF, e será determinada a taxa de prenhez aos 20, 30 e 60 dias de prenhez, da mesma forma como no Exp. I. O Exp. II, visa-se responder uma questão de ordem científica, mas com grande impacto prático e econômico: novilhas e/ou embriões de novilhas ditas como precoce (induzidas por protocolo hormonal à puberdade) apresentam bons resultados de prenhez. E, a suplementação de microminerais de alta biodisponibilidade pode aumentar a taxa de prenhez de novilha e/ou receptoras de embriões. Essas respostas têm grande apelo na pecuária nos dois Estados, bem como de caráter nacional. Esses projetos podem ajudar a desenvolver a pecuária no Estado do Amazonas, a qual ainda é muito pouco tecnificada e de baixa produtividade. A intensificação da cadeia produtiva de pecuária de corte leva ao desenvolvimento econômico e melhor qualidade de vida no campo, além de gerar emprego e renda, mantendo o homem no campo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)