Busca avançada
Ano de início
Entree

Plano de desastres aplicado na pandemia do Covid-19-ações, resultados e lições aprendidas

Processo: 20/12143-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de março de 2021 - 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Convênio/Acordo: CNPq - PPSUS
Pesquisador responsável:Eloisa Silva Dutra de Oliveira Bonfá
Beneficiário:Eloisa Silva Dutra de Oliveira Bonfá
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Amanda Cardoso Montal ; Anna Miethke Morais ; Edivaldo Massazo Utiyama ; Fabiane Yumi Ogihara Kawano ; Fernanda Harumi Misumi Castanheira ; Izabel Oliva Marcilio de Souza ; Leila Suemi Harima Letaif ; Luciana Bertocco de Paiva Haddad ; Maria Amélia de Jesus Nogueira ; Maria Beatriz de Moliterno Perondi ; Paulo Francisco Ramos Margarido ; Rossana Pulcineli Vieira Francisco ; Solange Regina Giglioli Fusco ; Suze Maurem Jacon
Assunto(s):Gestão em saúde  Gestão de desastres  Doenças transmissíveis  Pandemias  COVID-19 

Resumo

A rápida expansão da pandemia de COVID-19 no mundo provocou a necessidade de adoção de novas estratégias para a organização dos sistemas e serviços de saúde. Num cenário onde a demanda rapidamente excedeu a capacidade habitual dos serviços de saúde, principalmente em relação a leitos de unidades de terapia intensiva (UTI), houve urgência em aumentar essa estrutura e em ofertá-la à rede. Nesse contexto, em 29 de janeiro de 2020, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) ativou o seu Plano de Desastres para o enfrentamento da pandemia. Com o aumento progressivo do número de casos em São Paulo, o Comitê de Crise do HCFMUSP decidiu isolar seu Instituto Central (ICHC) para atendimento desses pacientes. Dessa forma, foram mobilizados 300 leitos de UTI exclusivos para casos de COVID-19, o que corresponde a 10% do total de leitos de UTI com essa finalidade na rede pública de saúde da cidade de São Paulo. Do dia 30 de março (data que marcou o início dessa movimentação) até 31 de julho de 2020, foram atendidos mais de 3.900 casos suspeitos de COVID-19 no ICHC. É possível e desejável se fazer uma revisão criteriosa da resposta ao desastre que foi implementada. Embora seja notório o papel primordial da estratégia adotada pelo Comitê de Crise do HCFMUSP na resposta e contenção da epidemia por COVID-19 no estado, é essencial que essa estratégia seja documentada e avaliada de maneira sistemática. Essa revisão após os meses mais críticos da epidemia em São Paulo permitirá que se considere a efetividade de estratégias adotadas, assim como a limitação de outras, identificando aquelas que devem ser incorporadas em Plano de Desastres para enfrentamentos futuros. Dessa forma, este projeto visa analisar o Plano de Desastres implementado no HCFMUSP no contexto da epidemia de COVID-19, os resultados obtidos em diferentes perspectivas (ativação, gestão do serviço no contexto de expansão de capacidade, qualidade da atenção, análise comparativa com Planos de Desastres de hospitais universitários de nível terciário) e as limitações enfrentadas. O estudo constitui no relato da implantação do Plano de Desastres do HCFMUSP, a partir da revisão de atas de reunião, informes e documentos produzidos, bem como da experiência das proponentes - membros do Comitê de Crise do HCFMUSP, além da análise quantitativa de dados epidemiológicos e assistenciais. Será feita a descrição epidemiológica dos casos suspeitos de COVID-19 a partir das informações do núcleo de vigilância epidemiológica e do banco de dados institucional - COVID-19 do HCFMUSP. Serão incluídos no estudo todos os casos suspeitos de COVID-19 internados no ICHC entre 30 de março e 31 de julho de 2020. A análise do impacto do Plano de Desastres na rede de saúde do Estado de São Paulo será feita a partir da análise dos dados da regulação do Sistema CROSS. O estudo possibilitará a descrição sistematizada e detalhada de todas as etapas do planejamento e implantação do Plano de Desastres na resposta à pandemia da COVID-19 em um hospital universitário no estado de São Paulo. A partir dos resultados encontrados, será produzido um documento técnico incorporando as estratégias de prevenção e mitigação encontradas para subsidiar a ativação do Plano de Desastres em momentos futuros. Além disso, a comparação das diferentes estratégias de resposta implementadas por diferentes hospitais universitários permitirá a proposição de um modelo de estruturação de grandes hospitais para pandemias com base nos melhores resultados obtidos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)