Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil metabólico de Nectandra oppositifolia Nees & Mart. e avaliação da atividade antitripanossomal de compostos bioativos por meio de análises de eficiência

Processo: 21/01026-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de março de 2021 - 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:João Henrique Ghilardi Lago
Beneficiário:João Henrique Ghilardi Lago
Instituição Sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Trypanosoma cruzi  Química de produtos naturais 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:molecular networks | Nectandra oppositifolia | protocatechuic acid derivatives | structural dereplication | Trypanosoma cruzi | Quimica de Produtos Naturais

Resumo

Extratos de EtOH das folhas e galhos de Nectandra oppositifolia Nees & Mart. mostraram atividade contra formas amastigotas de Trypanosoma cruzi. Esses extratos foram submetidos a sucessivas partições líquido-líquido para gerar frações bioativas de CH2Cl2. UHPLC-TOF-HRMS / MS e redes moleculares foram usados para obter uma visão geral da composição fitoquímica dessas frações ativas. Com o objetivo de isolar os compostos ativos, ambas as frações de CH2Cl2 foram submetidas ao fracionamento por cromatografia de média pressão combinada com HPLC-UV semi-preparativo. Usando esta abordagem, doze compostos (1-12) foram isolados e identificados por análise de NMR e HRMS. Vários compostos isolados apresentaram atividade contra as formas amastigotas do T. cruzi, principalmente o protocatecuato de etila (7) com valor de EC50 de 18,1 microM, semelhante ao benznidazol de controle positivo (18,7 microM). Considerando o potencial do composto 7, o ácido protocatecuico e seus respectivos ésteres metil (7a), n-propil (7b), n-butil (7c), n-pentil (7d) e n-hexil (7e) foram testados. Em relação à atividade antitripanossoma, o ácido protocatecuico e o composto 7a foram inativos, enquanto o 7b-7e exibiu valores de EC50 de 20,4 a 11,7 µM, sem citotoxicidade para células de mamíferos. Esses resultados sugerem que a lipofilicidade e a complexidade molecular desempenham um papel importante na atividade, enquanto a análise de eficiência indica que o composto natural 7 é um protótipo promissor para futuras modificações para obter compostos eficazes contra as formas intracelulares do T. cruzi. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)