Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do treinamento intervalado de alta intensidade em camundongos mais ou menos ativos sobre parâmetros biomecânicos, biofísicos e bioquímicos do tecido ósseo

Resumo

O treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) tem se destacada no contexto físico-esportivo devido aos seus possíveis impactos sobre a aptidão física. Entretanto, os efeitos do HIIT na saúde óssea precisam ser explorados cuidadosamente. Além disso, é necessário compreender se os efeitos do HIIT na saúde óssea dependem dos níveis de atividade física iniciais. Isso pode ser testado experimentalmente, uma vez que construímos uma gaiola grande (LC) que permite que os animais se movam livremente, promovendo um aumento da atividade física espontânea (SPA) em comparação a uma gaiola pequena (SC). Assim, examinamos os efeitos do HIIT sobre os parâmetros biofísicos, biomecânicos e bioquímicos do tecido ósseo de camundongos C57BL / 6J que viveram em gaiolas de dois tamanhos diferentes: gaiolas pequenas (SC) e grandes (LC), com 1320 cm2 e 4800 cm2 de espaço físico, respectivamente. Os camundongos foram subdivididos em dois grupos dentro de cada tipo de alojamento: Controle (C) e Treinado (T). Ao final das intervenções, todos os animais foram eutanasiados para extração do osso do fêmur para análises biofísicas, biomecânicas e bioquímicas. Com base em uma interação significativa de ANOVA de duas vias, camundongos treinados mantidos em gaiolas grandes (mas não camundongos treinados alojados em SC) exibiram uma redução da tenacidade e do deslocamento na falha no osso. Isso sugere que o HIIT aplicado por muitas semanas consecutivas, em adição ao um estilo de vida muito ativo, pode gerar efeitos negativos nos ossos de camundongos saudáveis. Também se deve alertar para a adoção excessiva de treinamento físico, pelo menos no que diz respeito ao tecido ósseo. Por outro lado, aumento de cálcio foi encontrado no fêmur de camundongos alojados em LC, ambiente capaz de gerar maior nível de atividade física para esses animais (ou seja, SPA) do que outros grupos. Isso implica que um estilo de vida ativo sem treinamento físico também pode desempenhar um papel na promoção de benefícios para o tecido ósseo. Nossos dados fornecem novos insights para o tratamento de doenças relacionadas à saúde óssea. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
POLISEL, EMANUEL E. C.; BECK, WLADIMIR R.; SCARIOT, PEDRO P. M.; PEJON, TACIANE M. M.; GOBATTO, CLAUDIO A.; MANCHADO-GOBATTO, FULVIA B. Effects of high-intensity interval training in more or less active mice on biomechanical, biophysical and biochemical bone parameters. SCIENTIFIC REPORTS, v. 11, n. 1 MAR 19 2021. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.