Busca avançada
Ano de início
Entree

Método de traços de fissão, U-Pb e U-Th/He nos minerais apatita e zircão: termo-cronologia da parte norte da Bacia do Paraná e das faixas Brasília e Ribeira

Resumo

Através do Método de Traços de Fissão (MTF), pretende-se continuar com os estudos dos efeitos do ataque químico nos minerais, apatita e zircão para determinar as diferentes nuances da rede cristalina, obtidas durante a sua cristalização ou adquiridas ao longo da sua história geológica. Para isto faremos a caracterização destes minerais através de diferentes técnicas utilizadas em ciências dos materiais, como: i) Microscopia Ótica, MO; ii) Espectroscopia micro-Raman; iii) Microscopia de Força Atômica, MFA; iv) Acelerador de Íons Pesados; v) Microscopia Eletrônica de Varredura com Energy Dispersive Spectroscopy (MEV/EDS); vi) Micro-sonda Eletrônica e vi) Caracterização isotópica através do LA-ICPMS. De esta forma, teremos elementos suficientes para fazer um estudo teórico-experimental, cada vez mais abrangente dos diferentes fenômenos físico-químicos que ocorrem durante a cristalização natural de cada mineral com o intuito de determinar a relação entre o ataque químico, utilizado para revelar os traços de fissão, e as características cristalográficas dos mesmos. Assim, estes estudos visam de uma forma geral dar continuidade ao aprimoramento tanto do MTF como dos métodos U-Pb e U-Th/He (nos minerais apatita e zircão) no DF/FCT, UNESP, Campus Presidente Prudente, onde se pretende realizar este projeto.Em paralelo, esses métodos de datação serão aplicados para estender os nossos estudos da Termo-Cronologia da parte norte da Bacia do Paraná e das faixas Brasília e Ribeira. Determinaremos tanto a idade como a história térmica de amostras coletadas em pontos estratégicos nestas regiões de estudo de tal forma a complementar o nosso conjunto de dados obtidos em projetos anteriores. Assim, teremos idades via o MTF e U-Pb no mesmo grão (apatita e/ou zircão) e ainda em alguns grãos, previamente escolhidos, poderemos ter adicionalmente a idade U-Th/He. Isto permitirá fazer a reconstrução da sua história térmica desde a sua cristalização até os dias de hoje de tal forma que poderemos fazer um estudo geocronológico abrangente de cada uma de estas regiões. O produto final em esta parte aplicativa de este projeto será o estudo da relação geocronológica entre as faixas Brasília e Ribeira e a sua influência nas bacias adjacentes, como a Bacia de Paraná e a Bacia de Santos, Respectivamente. Ou seja, será possível fazer a correlação Fonte-Bacia. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)