Busca avançada
Ano de início
Entree

Varredura bioquímica de inbidores da protease Mpro do vírus SARS-CoV-2

Processo: 20/13322-0
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de fevereiro de 2021 - 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Martin Rodrigo Alejandro Wurtele Alfonso
Beneficiário:Martin Rodrigo Alejandro Wurtele Alfonso
Instituição Sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Pandemias  Infecções por Coronavirus  COVID-19  SARS-CoV-2  Desenvolvimento de fármacos  Antivirais  Inibidores enzimáticos  SARS-CoV-2 Mpro 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:desenvolvimento de inibidores | Main Protease | SARS-CoV-2 | Varreduras de alto desempenho | Desenvolvimento de Fármacos

Resumo

A pandemia da Síndrome Respiratória Aguda Grave provocada pelo Corona Virus 2 (SARS-CoV-2) representa um desafio global. A capacidade do SARS-CoV-2 de se replicar em células hospedeiras depende da ação de suas proteínas não estruturais, como sua principal protease (Mpro). Esta cisteína protease age processando as poliproteínas precursoras dos vírus. Como as proteases, juntamente com as polímerases, são os principais alvos do design de medicamentos antivirais, nós aqui realizamos varreduras bioquímicas de alto rendimento (HTS) com SARS-CoV-2 Mpro recombinantemente expressa. Um ensaio fluorescente foi usado para identificar inibidores em uma biblioteca composta contendo drogas conhecidas, moléculas bioativas e produtos naturais. Estas varreduras levaram à identificação de 13 inibidores com valores IC50 que variavam de 0,2 ¼M a 23 ¼M. As varreduras confirmaram vários inibidores conhecidos do SARS-CoV Mpro como inibidores do SARS-CoV-2 Mpro, como os compostos organo-mercúricos thimerosal e acetato fenilmercúrico. Derivados de benzofenona também podem ser identificados entre os mais potentes sucessos de triagem. Além disso, o azul Evans, um corante contendo ácido sulfônico, poderia ser identificado como um inibidor de Mpro. Os compostos obtidos podem ser de interesse como compostos líderes para o desenvolvimento de futuros fármacos contra SARS-CoV-2. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)