Busca avançada
Ano de início
Entree

Ecologia e evolução cultural de populações antigas no Hemisfério Sul

Processo: 20/00900-5
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2022 - 31 de julho de 2024
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Arqueologia - Arqueologia Pré-histórica
Convênio/Acordo: Universities New Zealand, Te Pōkai Tara
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Maria Mercedes Martinez Okumura
Beneficiário:Maria Mercedes Martinez Okumura
Pesq. responsável no exterior: Ethan Edwad Cochrane
Instituição no exterior: University of Auckland, Nova Zelândia
Instituição Sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/23282-5 - Continuidade e mudança em grupos pré-históricos do Vale do Ribeira de Iguape (São Paulo e Paraná): aplicações da teoria evolutiva a bioarqueologia e estudos de cultura material, AP.JP
Assunto(s):Arqueologia brasileira  Cerâmicas  Morfometria geométrica  Mudança cultural  Cultura material  Artefatos (arqueologia)  Artefatos líticos 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:arqueologia brasileira | Arqueologia do Pacífico | artefatos líticos | cerâmica | morfometria geométrica | mudança cultural | Cultura material

Resumo

Okumura (Universidade de São Paulo [USP]) e Cochrane (Universidade de Auckland [UA]) são pesquisadores em bioantropologia e arqueologia, especializados em Teoria Evolutiva e métodos quantitativos usados para estudar o passado de grupos humanos. Seus programas de pesquisa examinam populações pretéritas com foco na demografia, interação populacional e variação tecnológica relacionada ao aprendizado social e adaptação em ambientes em mudança. Atualmente, Cochrane pesquisa o desenvolvimento da agricultura e chefias complexas nas ilhas do Pacífico, a migração e demografia das populações do Pacífico e a tecnologia de ferramentas de pedra e de cerâmica. Sua pesquisa é relevante para nossa compreensão das origens da sociedade hierárquica (incluindo populações modernas) e como as populações se adaptam às mudanças nos ambientes. Atualmente, Okumura pesquisa a evolução biocultural de populações pré-históricas no sul de São Paulo (Vale do Ribeira) através da análise de DNA antigo e métodos tradicionais de biodistância (medidas métricas) aplicados a restos humanos, bem como análises de formas ou morfometria geométrica (GMM) aplicada a ferramentas de pedra. Sua pesquisa é relevante para nossa compreensão da evolução biológica e cultural, incluindo os mecanismos por trás das mudanças ao longo do tempo (ou a falta delas). O Vale do Ribeira foi escolhido por ser uma das poucas regiões brasileiras em que existe um registro arqueológico completo dos últimos 11.000 anos, permitindo a realização de um transecto temporal em uma única região. Esta pesquisa é financiada atualmente pela FAPESP através do projeto "Mudança e continuidade em grupos humanos pré-históricos do Vale do Ribeira de Iguape (estados de São Paulo e Paraná): aplicações da Teoria da Evolução a estudos bioarqueológicos e de cultura material". Cochrane contribuirá para essa pesquisa colaborando na análise estilística de cerâmica pré-histórica de um transecto regional que inclui o Vale do Ribeira para determinar os limites sociais de grupos humanos passados. Como o financiamento da FAPESP concedido a Okumura inclui bolsas de estudo relacionadas à análise cerâmica dessa região, Cochrane também supervisionará os atuais alunos de pós-graduação no projeto. Além disso, ela atualmente supervisiona um pesquisador de pós-doutorado em um projeto que inclui análise da cerâmica do Vale do Ribeira, além de outras regiões próximas do estado de São Paulo. Como Cochrane é especialista neste tópico, ele seria uma grande contribuição para esse projeto de pós-doutorado. Um dos projetos atuais de Cochrane se concentra na variação de ferramentas de pedra ao longo de 3.000 anos nas ilhas do Pacífico. Seu objetivo é explicar como a mudança tecnológica pode ser tanto a resposta quanto a causa de mudanças ambientais: uma forma de construção de nicho feita por humanos. Uma análise descritiva preliminar das ferramentas já foi concluída. Okumura contribuirá aplicando análises quantitativas de forma às ferramentas de pedra, usando equipamentos, consumíveis e espaço fornecido pela UA. Com isso, Cochrane e Okumura poderão rastrear mudanças tanto no uso de ferramentas quanto dos ambientes nos quais essas ferramentas foram usadas. Os resultados da pesquisa indicarão a resposta tecnológica das populações passadas às mudanças ambientais globais e como essas respostas também influenciaram os ambientes locais. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)