Busca avançada
Ano de início
Entree

1-Metil-D-triptofano ativa o receptor de hidrocarboneto de arila, uma via associada com progressão de câncer de bexiga.

Processo: 20/12157-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de dezembro de 2020 - 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Humberto Dellê
Beneficiário:Humberto Dellê
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias da bexiga  Progressão tumoral  Triptofano  Urotélio  Urologia 

Resumo

Introdução: Indoleamina 2,3-dioxigenase-1 (IDO1) é um alvo promissor para imunoterapia no câncer de bexiga (CB). O IDO1 degrada o triptofano para gerar derivados de quinurenina, que podem ativar o receptor de hidrocarboneto de aril (AHR). AHR é um alvo importante para carcinógenos, mas sua associação com a progressão do CB era desconhecida. Dois inibidores de IDO1 usados em ensaios clínicos são 1-metil-D-triptofano (MT) e INCB240360. Como MT é um hidrocarboneto aromático, pode ser um ligante para AHR. Nossa hipótese é que o AHR pode estar associado à progressão do BC e que o MT pode ativar o AHR no CB.Métodos: Pacientes com BC (n = 165) foram selecionados do banco de dados Gene Expression Omnibus. Um ponto de corte para a expressão relativa de AHR e enzimas do citocromo 450 (CYP1A1, CYP1A2 e CYP1B1; marcadores de ativação de AHR) foi determinado para comparar com o grau, estágio e progressão do tumor. Para experimentos in vitro, células RT4 (grau 1) e T24 (grau 3) BC foram incubadas com MT e INCB240360 para avaliar a expressão de AHR e CYP1A1.Resultados: A ativação do AHR foi associada ao grau, estágio e progressão do CM. As células T24 expressam mais CYP1A1 do que células RT4. Embora a expressão de IDO1 e a produção de quinurenina sejam elevadas em células T24 concomitantemente à expressão de CYP1A1, os inibidores de IDO1 não foram capazes de diminuir a expressão de CYP1A1, em contraste, MT aumentou significativamente em ambas as linhas celulares.Conclusão: Em conclusão, é racional inibir IDO1 no CB, entre outros fatores porque contribui para a ativação de AHR. No entanto, a MT precisa ser avaliada cuidadosamente para o CB porque é um agonista da via AHR, independentemente de seus efeitos na IDO1. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)