Busca avançada
Ano de início
Entree

Otimização da eletrotransferência do plasmideo de DNA contendo o gene do hormônio de crescimento de camundongo no músculo tibial anterior de camundongos anões

Resumo

Resumo: A terapia gênica não viral já realizada foi direcionada a dois modelos animais de nanismo: camundongos anões imunodeficientes (lit / scid) e imunocompetentes (lit / lit). O primeiro, baseado na administração do gene do hGH no músculo, apresentou melhor desempenho, enquanto o último, um modelo homólogo baseado em DNA de mGH, foi menos eficiente, embora recomendado como útil para ensaios pré-clínicos. Agora melhoramos os parâmetros de crescimento visando uma recuperação completa do fenótipo lit/lit. A eletrotransferência foi baseada em três pulsos de 375 V / cm de 25 ms cada, após administração de mGH-DNA em dois locais de cada músculo tibial cranial não exposto. Um bioensaio de 36 dias, realizado usando camundongos lit / lit de 60 dias, forneceu os níveis circulatórios de GH mais altos que já obtivemos para terapia gênica não viral de GH: 14,7 ± 3,7 ng mGH / mL. Esses níveis, ao final do experimento, foram de 8,5 ± 2,3 ng / mL, ou seja, significativamente maiores que os do controle positivo (4,5 ± 1,5 ng / mL). O crescimento em relação ao camundongo normal (catch-up growth) atingiu 40,9% para o peso corporal, 38,2% para o comprimento corporal e 82,6% -76,9% para o comprimento do fêmur. A recuperação em termos dos níveis de mIGF-1 permaneceu baixa, aumentando do valor anterior de 5,9% para os 8,5% atuais. Embora não tenha sido obtida uma recuperação fenotípica completa, isto deve ser possível ao começar com animais muito mais jovens e / ou aumentar o número de locais de injeção. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)