Busca avançada
Ano de início
Entree

Meta-análise comparativa e análise in silico de genes e proteínas diferencialmente expressos no câncer de bexiga canino e humano

Resumo

O câncer de bexiga canino e humano apresentam características anatômicas, morfológicas e moleculares semelhantes, e os cães podem ser considerados um modelo para o câncer de bexiga humana. No entanto, a literatura veterinária carece de informações sobre a análise de validação cruzada entre dados de larga escala humanos e caninos. Portanto, esta pesquisa teve como objetivo realizar uma metanálise da literatura canina sobre câncer de bexiga, identificando genes e proteínas previamente avaliados nesses estudos. Além disso, também realizamos uma validação cruzada dos dados do transcriptoma canino e dos dados humanos do The Cancer Genome Atlas (TCGA) para identificar potenciais marcadores para ambas as espécies. A meta-análise foi realizada usando os seguintes termos de indexação: "bexiga" AND "carcinoma" AND "cão" em diferentes bases de dados internacionais, e 385 manuscritos foram identificados em nossa busca inicial. Em seguida, vários critérios de inclusão foram aplicados, e apenas 25 estudos preencheram esses critérios. Desses estudos, cinco apresentaram dados de transcriptoma e 20 avaliaram apenas genes ou proteínas isolados. Em relação aos estudos envolvendo análise de proteínas isoladas, a proteína HER-2 foi a mais estudada (3/20), seguida por TAG-72 (2/20), COX-2 (2/20), survivina (2/20), e CK7 (2/20), e os nove estudos restantes avaliaram uma proteína isolada cada. Em relação à análise de validação cruzada dos dados do transcriptoma humano e canino, identificamos 35 genes desregulados, incluindo ERBB2, TP53, EGFR e E2F2. Nossos resultados demonstram que a literatura canina sobre câncer de bexiga se concentra na avaliação de marcadores isolados sem associação com a sobrevida do paciente. Essa limitação pode estar relacionada à falta de um protocolo homogêneo para o tratamento dos pacientes e à falta de acompanhamento durante o tratamento. Além disso, a falta de informações a respeito da invasão muscular do tumor pode ser considerada uma limitação importante na comparação entre os tumores de bexiga humana e canina. Nossa análise in silico envolvendo dados de transcriptoma canino e humano forneceu vários genes com potencial para serem marcadores para tumores de bexiga humanos e caninos, e esses genes devem ser considerados para estudos futuros sobre câncer de bexiga canina. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)