Busca avançada
Ano de início
Entree

Planejamento racional, síntese e estudo da relação estrutura atividade de inibidores da enzima arginase de Leishmania amazonensis para o desenvolvimento de novos fármacos

Processo: 19/23769-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2020 - 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Pesquisador responsável:Edson Roberto da Silva
Beneficiário:Edson Roberto da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Pesq. associados:Beatriz Simonsen Stolf ; Claudia Do Carmo Maquiaveli ; Marcos André Vannier dos Santos
Assunto(s):Desenvolvimento de fármacos  Leishmania  Arginase  Poliaminas  Inibidores 

Resumo

Nos últimos dez anos nosso grupo descreveu a interação de dezenas de compostos naturais e sintéticos com a enzima arginase de Leishmania amazonensis (La-Arg). Até o momento identificamos pelo menos três grupos farmacofóricos necessários para a inibição da La-Arg: grupo catecol, grupo tiosemicarbazida e fenil-hidrazina. O primeiro identificado foi o grupo catecol a partir dos estudos com a planta medicinal Cecropia pachystachya e uma serie de flavonoides e flavanoides. A tiosemicarbazida foi identificada através de compostos sintéticos planejados para inibir a enzima e por último a prospecção com compostos sintéticos primariamente sintetizados para tratamento da tuberculose contendo o grupo fenil-hidrazida. Os compostos naturais contendo o grupo catecol apresentaram maior potencia contra a La-Arg do que como inibidores da arginase de mamíferos. O estudo da planta Stachytarpheta cayennensis, utilizada na Amazônia brasileira para tratamento da leishmaniose e de seu composto ativo mais abundante, o verbascosídeo, possibilitou correlacionar o uso de S. cayennensis no tratamento da leishmaniose com a inibição seletiva da La-Arg. Estes estudos colocaram em evidencia a arginase como alvo terapêutico e possibilitaram a criação de parcerias com laboratórios de síntese de novos compostos de vários países. Neste projeto propomos continuar com a prospecção de novos inibidores da arginase através de síntese planejada a partir de estudos de relação estrutura atividade (SAR). Serão estudados ao menos quatro séries de compostos: 1) uma série de compostos semissintéticos de ésteres do ácido caféico produzidos na Bélgica; 2) uma biblioteca de cerca de 280 compostos contendo (hidrazonas and oxadiazols) produzidas na França; 3) uma série de fenil-hidrazidas produzidas pelo laboratório Farmanguinhos (FIOCRUZ-RJ) e por fim uma série inédita planejada em parceria com a UFRJ de inibidores da arginase com potencial contra Leishmania. Com isso, esperamos avançar no desenvolvimento de compostos sintéticos e semissintéticos com a finalidade de desenvolver um novo medicamento para o tratamento da leishmaniose humana e canina. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA SILVA, EDSON ROBERTO; COME, JULIO ABEL ALFREDO DOS SANTOS SIMONE; BROGI, SIMONE; CALDERONE, VINCENZO; CHEMI, GIULIA; CAMPIANI, GIUSEPPE; OLIVEIRA, TRICIA MARIA FERRREIRA DE SOUSA; PHAM, THANH-NHAT; PUDLO, MARC; GIRARD, CORINE; MAQUIAVELI, CLAUDIA DO CARMO. Cinnamides Target Leishmania amazonensis Arginase Selectively. Molecules, v. 25, n. 22 NOV 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.