Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de protocolos clinicos dessensibilizantes (neurais e obliteradores) no manejo da hipersensibilidade dentinária cervical

Resumo

O presente estudo tem como objetivo comparar clinicamente a efetividade de tratamentos de consultório para hipersensibilidade dentinária cervical (HDC) com diferentes propostas dessensibilizantes (protocolos neurais e protocolos obliteradores) através de um estudo clínico paralelo, randomizado, duplo cego, intervencional. Será realizada avaliação dos pacientes através dos critérios de inclusão e exclusão. Os sujeitos que apresentarem ao menos um dente com valor acima de 4 na escala VAS (se mais de um dente sensível estiver presente, será utilizada a média dos valores VAS obtidos de cada lesão, por paciente) serão aleatoriamente alocados nos grupos experimentais: PARTE 1 (protocolo neural): grupo 1: grupo controle (placebo, no qual a aplicação de um produto será simulada); grupo 2: Dessensibilizante Ultra EZ 3% (será realizada profilaxia com pedra pomes e, na seqüência aplicado o gel dessensibilizante); grupo 3: Laser de AsGaAl, (comprimento de onda de 780 nm sob isolamento relativo com potência fixa de 100mW, densidade de energia de 90 J/cm2, 1J por ponto em 2 pontos distintos: cervical e apical), e grupo 4; irradiação similar ao grupo 3, mas na última sessão será realizado a aplicação do dessensibilizante conforme foi descrito no grupo 2. Todos os tratamentos serão realizados de acordo com as instruções do fabricante por um pesquisador treinado. A avaliação da HD será realizada 5 min após a aplicação dos tratamentos, por um pesquisador diferente e também cego ao tratamento aplicado, utilizando a escala visual analógica de dor. Os voluntários serão chamados novamente para a determinação da HD após uma semana, 1, 3, 6 e 12 meses dos tratamentos. Na parte 2 do trabalho, no qual será avaliado os protocolos obliteradores, contará com 4 fases distintas. A fase clínica deste estudo avaliará os efeitos dos tratamentos quanto à alteração de dor dos pacientes, da mesma forma que a Parte 1 deste projeto. Em seguida, o laser de Nd:YAG também será avaliado quanto ao aumento de temperatura durante irradiação com diferentes protocolos, através de análise termográfica, utilizando-se termopares e câmera termográfica. Diferentes protocolos de irradiação e o uso da pasta também serão avaliados em uma etapa de cultivo celular. Em todas as etapas, os dados obtidos nos grupos e tempos experimentais serão submetidos à análise estatística apropriada (±=0,05). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)