Busca avançada
Ano de início
Entree

Opiniões, escolhas, ações e extremismo

Processo: 19/26987-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2020 - 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física Geral
Pesquisador responsável:André Cavalcanti Rocha Martins
Beneficiário:André Cavalcanti Rocha Martins
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Leandro Martin Totaro Garcia ; Serge Galam ; Tania Patricia Simões Yamaki
Assunto(s):Mecânica estatística  Sistemas complexos  Dinâmica de opiniões  Redes de interação 

Resumo

O uso de ferramentas de Sistemas Complexos em problemas fora da Física já é uma tradição bem consolidada. Em particular, aplicações no estudo de sistemas sociais e biológicos são bastante comuns. Nesta área, desenvolvi um modelo geral para descrever a dinâmicas das opiniões em uma sociedade, que permite que se acrescente interações e influências de qualquer tipo. Além disso, também criei um modelo evolucionário que mostra que envelhecimento pode acontecer como consequência da competição adaptativa entre indivíduos. Este projeto irá expandir esses resultados com aplicações em novos problemas. Na área de dinâmica de opiniões, irei estudar mais a fundo o acoplamento entre a evolução de redes de influência e opiniões. O problema de modelos gerais quando existem mais de duas escolhas também será estudado, em especial, no caso em que as escolhas tem algum tipo de relação e não são simétricas. Esse modelo também será utilizado para uma melhor compreensão de como definir de forma apropriada o que é extremismo em um modelo de opiniões. Tal definição depende de detalhes das variáveis do modelo e também da distinção entre o que é uma opinião, uma escolha e uma ação. Além disso, irei desenvolver uma variação do modelo de dinâmica de opiniões onde os agentes escolhem se vão ou não tomar atitudes mais fortes, como manifestações, que, esperamos, seja capaz de modelar eventos como a primavera árabe e as manifestações no Brasil que se seguiram ao movimento Passe Livre. Em particular, este modelo pode também contribuir na modelagem de crises geradas pela oferta de alimentos. Da mesma forma, o modelo evolucionário que desenvolvi para explicar a senescência também será explorado. A importância de problemas de difusão e localização espacial serão investigadas para o caso geral e, além disso, o modelo inicial será estudado também como uma possível explicação para a mudança de tipos de governo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)