Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização farmacológica do sulfeto de hidrogênio (H2S) derivado do tecido adiposo perivascular (PVAT) na hipertensão gestacional em ratas

Resumo

As desordens hipertensivas da gestação são caracterizadas por um aumento da pressão arterial sistêmica. A pré-eclâmpsia é considerada a mais grave destas desordens e usualmente é acompanhada por proteinúria e outros sintomas clínicos após a 20ª semana gestacional. O tecido adiposo perivascular (PVAT) pode participar no controle do tônus vascular através da liberação de substâncias vasoativas, incluindo o sulfeto de hidrogênio (H2S). O H2S é sintetizado endogenamente pela enzima cistationina-gama-liase (CSE) e foi demonstrado que os níveis de H2S estão reduzidos na pré-eclâmpsia. Nosso objetivo é avaliar o envolvimento do H2S derivado do PVAT na modulação vascular durante a hipertensão gestacional. Ratas prenhes serão divididas em dois grupos distintos: Prenhes Normotensas (Norm-Preg) e Prenhes Hipertensas (HTN-Preg). A hipertensão gestacional será induzida pelo modelo "DOCA-Sal", que consiste na administração de acetato de desoxicorticosterona (DOCA) combinada com a substituição da água de beber por salina. A pressão arterial sistólica será aferida por pletismografia de cauda em dias distribuídos durante a gestação, totalizando-se oito aferições. No 20º dia gestacional, as ratas serão mortas com overdose de isoflurano. A aorta torácica será removida e utilizada nos experimentos de reatividade vascular para construção de curvas concentração-resposta a fim de avaliar o efeito do PVAT na contratilidade vascular à fenilefrina, o efeito vasodilatador do H2S derivado do PVAT e investigar o envolvimento dos canais de potássio dependentes de ATP (KATP) na sinalização do H2S derivado do PVAT. A aorta abdominal e o PVAT serão armazenados para realização de análises moleculares de Western Blot (para avaliar a expressão proteica da CSE), de reação de polimerase em cadeia de tempo real (qPCR) para avaliar a expressão gênica da CSE por reação de transcriptase reversa (RT) e imuno-histoquímica com o intuito de imuno-localizar a enzima CSE. A produção endógena de H2S será avaliada em aorta e PVAT através da técnica de formação do sulfeto de chumbo. A angiogênese será avaliada através de kits de ELISA específicos para fatores angiogênicos e anti-angiogênicos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)