Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da relação entre a Proteína Príon Celular e íons metálicos sob estresse oxidativo

Resumo

Em sua conformação normal, a proteína príon celular (PrPC) exerce inúmeras funções celulares e cognitivas, dentre elas se destacam funções como sinalizadora e auxiliar na fixação da memória. É uma proteína ancorada na membrana plasmática de todas as células e altamente presente em células do tecido cerebral. Com todo conhecimento adquirido a respeito suas funções nos últimos 15 anos, ainda restam dúvidas sobre sua ação e principalmente sobre como se dá a interação molecular da PrPC com a proteção - ou ativação - de doenças neurodegenerativas. A PrPC também pode se ligar aos metais divalentes, em especial com até 5 íons cobre. Entretanto, os significados funcionais desta interação metal-proteína ainda não estão completamente claros. Tanto frentes que indicam a participação desses metais na conversão das isoformas da proteína príon e sua forma patogênica, quanto as que reportam a PrPC como responsável no processo de homeostase de metais, geram conflitos na literatura atual a respeito do real papel dos metais tanto nas doenças priônicas como em outras doenças neurodegenerativas. Estudar essa relação permite não só concluir o papel da PrPC no SNC mediado via Fe, Cu, Zn e/ou Mn, como inferir se o fenótipo observado em doenças priônicas é consequência de falhas na interação metal-PrPC. Esse é um dos pontos que motivam a execução deste trabalho, visando contribuir com o esclarecimento da participação desses metais em processos de neurodegeneração.Este projeto tem o objetivo de elucidar a participação da PrPC na internalização de metais durante episódios de estresse oxidativo e em neurodegeneração celular com indução. Para isso, células de astrócitos de camundongos serão utilizadas do tipo selvagem (WT) e nocaute para a PrPC (KO), e serão medidos os níveis dos metais cobre, ferro e zinco internalizados na presença e na ausência de estresse oxidativo e em neurodegeneração. Adicionalmente serão verificadas alterações na expressão e localização da enzima SOD1 nestas condições, além de proteínas envolvidas com a morte celular como as caspases, e suas relações com a PrPC. Com estes resultados será possível criar um claro elo de ligação entre a PrPC, a sua atuação nas vias de morte e o envolvimento molecular de metais de transição neste processo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MAMUD, JULIA F.; BIAZOLLA, GIOVANNA; MARQUES, CAROLINE S.; CERCHIARO, GISELLE; DE QUEIROZ, THIAGO B.; KEPPLER, ARTUR F.; POLO, ANDRE S.. Z to E light-activated isomerization of alpha-pyridyl-N-arylnitrone ligands sensitized by rhenium(I) polypyridyl complexes. Inorganica Chimica Acta, v. 514, . (16/21993-6, 18/14152-0, 12/07717-5, 15/20007-5, 17/07289-7)
RAMOS, LUIZ D.; DE MACEDO, LEONARDO H.; GOBO, NICHOLAS R. S.; DE OLIVEIRA, KLEBER T.; CERCHIARO, GISELLE; MORELLI FRIN, KARINA P.. Understanding the photophysical properties of rhenium(I) compounds coordinated to 4,7-diamine-1,10-phenanthroline: synthetic, luminescence and biological studies. DALTON TRANSACTIONS, v. 49, n. 45, p. 16154-16165, . (18/14152-0, 18/00106-7, 17/18063-0, 16/09652-9)
MARQUES, CAROLINE M. S.; PEDRON, TATIANA; BATISTA, BRUNO L.; CERCHIARO, GISELLE. Cellular prion protein activates Caspase 3 for apoptotic defense mechanism in astrocytes. Molecular and Cellular Biochemistry, v. 476, n. 5, . (18/14152-0)
MANIERI, TANIA M.; SENSI, STEFANO L.; SQUITTI, ROSANNA; CERCHIARO, GISELLE. Structural effects of stabilization and complexation of a zinc-deficient superoxide dismutase. HELIYON, v. 7, n. 1, . (12/24604-0, 18/14152-0)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.