Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do treinamento físico em piscina aquecida versus em solo sobre variáveis hemodinâmicas, funcionais e qualidade de vida de idosos hipertensos

Processo: 17/25648-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2018 - 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Emmanuel Gomes Ciolac
Beneficiário:Emmanuel Gomes Ciolac
Instituição-sede: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento  Exercício físico  Fisiopatologia  Atividade física  Hipertensão 

Resumo

A promoção da prática regular de exercícios físicos é uma das principais metas globais de inúmeras sociedades médicas para prevenção e controle de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), sendo uma das principais terapêuticas para o paciente com hipertensão arterial sistêmica. O exercício físico em piscina aquecida tem surgido como uma potencial alternativa ao exercício físico em solo para a redução da pressão arterial (PA) de pacientes hipertensos. Entretanto, seu efeito crônico sobre a PA, bem como sobre variáveis hemodinâmicas, funcionais e qualidade de vida de idosos hipertensos é pouco conhecido. OBJETIVO: Avaliar o efeito de um programa de treinamento físico em piscina aquecida versus em solo sobre a capacidade física, variáveis hemodinâmicas, função autonômica cardíaca, capacidade funcional e qualidade de vida de idosos hipertensos. METODOLOGIA: 60 idosos hipertensos de ambos os sexos, com idade superior a 60 anos serão randomizados na razão 2:2:1 para de 12 semanas de programa de exercício físico em piscina aquecida (EPA), programa de exercício físico em solo (ES) ou seguimento controle sem exercício (CON), respectivamente. Os programas de exercício serão interrompidos após 12 semanas, e os indivíduos serão acompanhados por mais 12 semanas. Os indivíduos terão sua capacidade física (capacidade cardiorrespiratória e força muscular), variáveis hemodinâmicas (PA de repouso e ambulatorial, rigidez arterial, função endotelial e resposta cardiovascular ao exercício), função autonômica cardíaca (variabilidade da frequência cardíaca), capacidade funcional (capacidade de caminhada, capacidade de sentar e levantar da cadeira e agilidade) e qualidade de vida avaliadas antes, e após 12 e 24 semanas de seguimento. A viabilidade dos programas de EPA e ES também será avaliada ao longo das 12 semanas de sua realização. As sessões de EPA e ES serão realizadas 3 vezes por semana (60 min cada sessão), e consistirão de aquecimento (5 min), exercício aeróbio (30 min), exercício resistido (20 min) e volta à calma (5 min). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CIOLAC, EMMANUEL GOMES; RODRIGUES DA SILVA, JOSE MESSIAS; VIEIRA, RODOLFO PAULA. Physical Exercise as an Immunomodulator of Chronic Diseases in Aging. JOURNAL OF PHYSICAL ACTIVITY & HEALTH, v. 17, n. 6, p. 662-672, JUN 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.