Busca avançada
Ano de início
Entree

Claudia Domingues Vargas

CV Lattes



Claudia Domingues Vargas doutorou-se em Ciências Biológicas (Biofísica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1997). O seu pos-doutorado foi realizado no Institut des Sciences Cognitives, em Lyon. É Professora Associada IV da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Neurofisiologia e plasticidade do sistema motor humano. Suas linhas investigativas centram-se principalmente na cognição motora (Rodrigues et al., 2010; Saunier et al., 2013; Fraiman et al., 2014; Lemos et al., 2014), nas interações entre emoção e ação (Oliveira et al., 2012; Nogueira campos et al., 2014) e na plasticidade no sistema motor após lesão central (Fontana et al., 2012) e periférica (Mercier et al., 2006; Imbiriba et al., 2006; Vargas et al.,2009; Imbiriba et al., 2013). Desde 2012 coordena o Núcleo de Pesquisas em Neurociencias e Reabilitação motora, sediado no Instituto de Neurologia Deolindo Couto da UFRJ. Recentemente, tem se dedicado à pesquisa interdisciplinar no domínio da modelagem estocástica da plasticidade cortical em humanos, em associação com o Núcleo de Apoio à Pesquisa em Modelagem Estocástica e Complexidade (NUMEC) do IME/USP. É pesquisadora principal do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Neuromatemática (NeuroMat), financiado pela FAPESP. (Fonte: Currículo Lattes)

Auxílios à pesquisa
Apoio FAPESP em números * Quantidades atualizadas em 11/07/2020
Palavras-chave utilizadas pelo pesquisador
Videos relacionados aos auxílios à pesquisa e bolsas

Conexões dinâmicas


Publicado em 16 de julho de 2014 - Pesquisa FAPESP. "O Centro NeuroMat é um centro de matemática que tem como objetivo fazer os modelos matemáticos novos que são necessários para se poder pensar a neurobiologia atual." É assim que o matemático Antonio Galves define o Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) em Neuromatemática, situado no Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP). Neste vídeo, saiba mais sobre a pesquisa desse centro, e como uma animação composta por 10 pontos brancos em movimento pode ajudar a entender como o cérebro interpreta o que vê.

Por favor, reporte erros na informação da página do pesquisador escrevendo para: cdi@fapesp.br.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema: