Busca avançada
Ano de início
Entree


Relação entre os níveis plasmáticos de corticosterona e testosterona no comportamento vocal e territorial no sapo martelo (Hypsiboas faber)

Texto completo
Autor(es):
Vania Regina de Assis
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências
Data de defesa:
Membros da banca:
Fernando Ribeiro Gomes; Ana Maria de Lauro Castrucci; Silvia Mitiko Nishida
Orientador: Carlos Arturo Navas Iannini
Resumo

A partir de estudos sobre o controle endócrino do comportamento reprodutivo em anuros sabemos que diversos aspectos do comportamento vocal e das interações agonísticas nestes animais encontram-se associados a alterações dos níveis hormonais de testosterona e corticosterona. Dentre as espécies de anuros neotropicais de grande interesse para estudos a respeito do controle endócrino do comportamento reprodutivo destaca-se Hypsiboas faber, uma espécie de hilídeo caracterizada pela presença de machos territorialistas, cujas interações agonísticas abrangem uma diversidade de padrões vocais com agressividade escalar, podendo culminar em embate físico, além da construção de ninhos para oviposição e comportamento facultativo de guarda deste ninho. O objetivo deste trabalho foi entender as inter-relações entre os níveis plasmáticos de corticosterona e testosterona, e os comportamentos de vocalização e defesa territorial em machos de H. faber durante a atividade reprodutiva. Tais interrelações foram investigadas através da observação do comportamento durante as atividades vocais, seguidas de coleta de sangue para dosagem hormonal. Contamos adicionalmente com uma abordagem experimental, que consistiu no uso de gravações do coaxo de anúncio (playback), simulando a invasão de outro macho no território dos indivíduos focais, seguida de observação comportamental e coleta de sangue para dosagem hormonal. O estímulo experimental não surtiu qualquer efeito sobre os níveis plasmáticos de corticosterona e testosterona, nem sobre a maior parte das variáveis comportamentais. Conseguimos identificar um padrão de variação sazonal nos níveis de corticosterona e testosterona, bem como uma correlação positiva entre estes hormônios. Adicionalmente, indivíduos que vocalizam a taxas mais altas apresentam níveis mais elevados de corticosterona durante o início da temporada reprodutiva, enquanto níveis mais elevados de testosterona aparecem nos indivíduos mais responsivos a estímulos provindos do entorno social. (AU)

Processo FAPESP: 07/05972-0 - Relação entre os níveis plasmáticos dos hormônios corticosterona e testosterona no comportamento territorial, vocal e construção de ninho no SAPO martelo (Hypsiboas faber)
Beneficiário:Vania Regina de Assis
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado