Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da circulação da fase aquosa no tratamento de água residuária de baixa carga em reator batelada sequencial com biomassa imobilizada

Processo: 00/02681-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2000
Vigência (Término): 30 de abril de 2001
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Pesquisador responsável:José Alberto Domingues Rodrigues
Beneficiário:Ana Cristina Taddei Ramos
Instituição-sede: Escola de Engenharia Mauá (EEM). Instituto Mauá de Tecnologia. São Caetano do Sul , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:97/05987-3 - Desenvolvimento de processos anaeróbios em batelada e batelada alimentada para tratamento de águas residuárias, AP.JP

Resumo

O trabalho de pesquisa proposto terá como objetivo principal a avaliação da influência da velocidade superficial do líquido, através da variação da vazão de recirculação, sobre o desempenho de um reator anaeróbio descontínuo operado em batelada seqüencial, contendo biomassa imobilizada em espuma de poliuretano. Dessa forma, haverá a possibilidade de comparação deste sistema, ou seja, lodo imobilizado com homogeneização pela recirculação da fase líquida, com o sistema em operação no projeto "Desenvolvimento de processos anaeróbios em batelada e batelada alimentada para tratamento de águas residuárias" (Processo FAPESP no 97/05.987-3), ou seja, o mesmo lodo imobilizado tratando o mesmo esgoto, mas com a homogeneização sendo realizada por agitação. O reator no qual será efetuado este estudo será igual àquele projetado e em operação no desenvolvimento do projeto "Tratamento anaeróbio de águas residuárias, em batelada, com microorganismos imobilizados e circulação da fase aquosa" (Processo FAPESP no 98/07.131-1). Os custos envolvidos na realização deste trabalho serão supridos pela reserva técnica do projeto de pesquisa "Desenvolvimento de processos anaeróbios em batelada e batelada alimentada para tratamento de águas residuárias" (Processo FAPESP no 97/05.987-3) em andamento no Laboratório de Engenharia Bioquímica da Escola de Engenharia Mauá. (AU)