Busca avançada
Ano de início
Entree

Síntese, caracterização e avaliação da atividade de análogos do peptídeo (p-BthTX-I)

Processo: 19/24971-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Eduardo Maffud Cilli
Beneficiário:Natália Vitória Bitencourt
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07600-3 - CIBFar - Centro de Inovação em Biodiversidade e Fármacos, AP.CEPID
Assunto(s):Anti-infecciosos   Peptídeos bioativos   Peptídeos catiônicos antimicrobianos   Bothrops   Síntese de peptídeos   Caracterização estrutural

Resumo

O uso indiscriminado dos antibióticos impulsionou o aparecimento de cepas bacterianas resistentes às diversas dessas moléculas. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças declarou que, nesse contexto, infecções comuns e ferimentos leves podem matar - "era pós-antibiótica". Uma estratégia de contornar estas circunstâncias é o desenvolvimento de novas moléculas eficazes contra bactérias multirresistentes, dentre as quais se destacam os peptídeos antimicrobianos (PAMs), encontrados principalmente em venenos de animais. Estes bioativos apresentam grande eficácia contra bactérias multirresistentes devido ao seu mecanismo de ação, modo esse que dificulta as bactérias a adquirirem resistência. Um peptídeo obtido da região C-terminal da fosfolipase A2 homóloga, p- Bothropstoxina I (p-BthTX-I), presente na toxina da Bothrops jararacussu, mostrou atividade contra bactérias multirresistentes em estudos anteriores, principalmente na sua forma dimérica. Somado a isso, mostrou ação somente em células procariontes e não foi capaz de formar poros ou romper vesículas lipídicas, mostrando que essa não é sua forma de atuação. Neste projeto, visando a obtenção de análogos mais ativos, pretende-se realizar a síntese e avaliação do peptídeo na forma de tetrâmero e octâmero. A síntese do peptídeo em sua forma estereoisomérica D também será realizada, a fim de comprovar se seu mecanismo de ação é através de receptores de membranas bacterianas que dependem de sua estrutura espacial. Esperamos com essas informações contribuir para o entendimento do modo de ação do peptídeo (p-BthTX-I) e obter análogos mais ativos.