Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da interação de peptídeos antimicrobianos na estruturação da bicamada lipídica

Processo: 20/03998-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Karin Do Amaral Riske
Beneficiário:Lucas Pinheiro Dias
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/13368-4 - Sistemas nanoestruturados: de modelos biomiméticos de membranas a carreadores de bioativos, AP.TEM
Assunto(s):Membranas   Peptídeos catiônicos antimicrobianos   Bicamadas lipídicas   Calorimetria   Fluorescência

Resumo

A seleção de microrganismos resistentes aos fármacos convencionais, causada principalmente pelo uso indiscriminado de antibióticos, é um problema no cenário da saúde mundial o que levou a comunidade científica a procurar novas estratégias terapêuticas. Peptídeos Antimicrobianos (PAMs) são naturalmente moduladores do sistema imune inato de diversos organismos e têm se mostrado uma alternativa promissora para o tratamento de diversas doenças infecciosas tornando-se potenciais candidatos para auxiliar no tratamento contra microrganismos resistentes. Os PAMs são relativamente pequenos (menores que 60 resíduos de aminoácidos) e na sua maioria são anfifílicas apresentando um alto teor de aminoácidos básicos dando-lhe um caráter de policátion. Estas propriedades associadas às características conformacionais desses peptídeos permitem que eles se liguem e se insiram na membrana de microrganismos. Estudar as interações de peptídeos antimicrobianos com fosfolipídeos puros ou misturas de lipídeos em modelos de membrana pode ser relevante para determinar o tipo de dano celular induzido pelos peptídeos. Neste projeto será estudada a interação de peptídeos anitmicrobianos de interesse, como a ocelatina PT7 e PT8, que foram purificados, identificados e caracterizados a partir da secreção da pele de um Leptodactylus pustulatus, com membranas de diferentes composições lipídicas. Estes peptídeos foram escolhidos por terem apresentado uma boa ação contra S. choleraesuis, K. pneumoniae, S. áureos e E.coli, sendo mais eficientes contra esta última cepa, e também por terem apresentado baixa atividade hemolítica. A inserção e orientação dos peptídeos nas membranas, bem como a integridade e estruturação da bicamada lipídica podem ser determinadas por técnicas biofísicas como FTIR, EPR, SAXS, fluorescência, CD, calorimetria e eletrofisiologia de bicamadas planas. Estes métodos, portanto, podem mostrar relações definidas entre a composição da membrana e a atividade destes peptídeos. Estes dados podem contribuir para o design e síntese de peptídeos antimicrobianos de uso terapêutico. (AU)